Hall de Entrada

Página 5 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Hall de Entrada

Mensagem por Secret em Seg 8 Jul - 18:15:38

Relembrando a primeira mensagem :

Hall de Entrada
Rodeado por vidraças, o hall é o ponto inicial do apartamento. Distribuído por mobílias refinadas e uma planta, dando o ar natural ao espaço. É uma espécie de anexo que liga as escadas à sala de jantar, varanda e piscina.


Thanks to +Lia atOps
Secret
avatar
Admin

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Hall de Entrada

Mensagem por Chenault Murdoch Bertrand em Qua 24 Jul - 12:55:49






I’M THE GIRL YOU'D DIE FOR




A festa se tornava cada vez mais animada, pelos menos para as pessoa que dançavam a minha volta. O fato de Aimée tentar me animar se tornava até mesmo engraçado. Eu me tornara uma pessoa quieta demais, eram raras as vezes que estava realmente animada como as pessoas ao nosso redor. Deixei que meu olhar percorresse o local na esperança de achar algo que me interessasse. Nada.
Voltei minha atenção a minha irmã mais nova. Eu tentava dançar no mesmo ritmo que ela, mas meu corpo tinha um certo tipo de bloqueio para aquilo. Girei em torno do meu próprio eixo quando ela segurou minha mão, logo após ela girou também e eu sorri. Tentei deixar que meus quadris se movimentassem conforme a música, eu realmente não dançava a um bom tempo e nem me lembrava direito como era aquilo.
Barbie logo voltava para perto de nós. Ela não parecia tão feliz quanto antes e o comentário de Aimée só a pequena discussão anterior de Barbie com Ruby era certo. Ela segurou minha mão e me fez girar assim como nossa irmã mais nova fizera anteriormente. Meu Deus, será que elas não percebem que não sou um pião. Eu sorri para minha irmãs e mantive minhas mãos juntos as de Barbie enquanto dançava, mais uma vez tentando acompanhar o ritmo daquelas duas.
Eu pude ouvir um comentário sobre um justiceiro que observava nossa irmã mais nova. Procurei entre os milhões de fantasias, algumas eram ridículas demais, e por fim achei um cara mascarado, trajado de preto. Arqueei minha sobrancelha, Guy Fawkes, parecia que alguém ali era fã de pessoas vingativas. Voltei a olhar para minha irmã que estava vestida de Minnie. As duas fantasias realmente não combinavam, mas quem dava importância para aquilo.
- Il semble que la souris appelle l'attention de même les vertueux.
As palavras saíram em um tom mais alto que a música, desse modo minhas irmãs poderiam ouvir perfeitamente. Meu sotaque francês ainda era tão perfeito como quando eu morava em Paris, algumas coisas nunca saem de nós. Também poderia ser levado em consideração o fato de que nas férias eu costumava ir visitar a minha cidade natal. Que saudade eu sentia daquele lugar, fora uma pena ter que sair de lá, mas Manhattan era outra de minhas paixões, eu poderia viver por ali pelo resto de minha vida.
Segurei a mão de Barbie e dessa vez eu a fia girar em torno do seu eixo. Eu estava ali para me divertir naquela noite, na verdade queria que uma outra pessoa também estivesse, mas já que ele não aparecera por ali eu tinha decidido que iria me divertir com as minhas irmãs. Deixei que meus quadris se soltassem lentamente, uma de minhas mãos ainda segurava a de Barbie e a balançava ritmadamente. Do que adiantava ir a uma festa e não se divertir. E eu não precisava de nada mais para achar a diversão do que estar ao lado de minhas irmãs. Sem bebidas, sem drogas, nada disso nunca me atraira. E pelo menos por um tempo eu deveria esquecer os estudos.






Tags:Aimée and Barbie Words: ### Wearing: this Notes: ----
Chenault Murdoch Bertrand
avatar
Wonderland
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Toby A. Kerzhakov em Qua 24 Jul - 18:19:42


One chance


Vestindo:This! Com: Everybody OUVINDO: Party’s Music. ONDE: Hall
Bom. No momento em que Aimée me notara – graças à irmã patricinha dela – eu achei que ela viria até mim e começaria a brigar, falando que eu estava proibido de olhá-la. Idiota não? Principalmente depois que eu lembrei que estava de máscara. Sacudi a cabeça em um movimento imperceptível para anuviar os meus pensamentos e voltei a fitar novamente a garota. Era impressão minha ou ela parecia estar dançando com mais sensualidade. Por minha causa? Eu não saberia dizer, mas estava adorando.
 
- Deus... – Falei um pouco alto demais devido àquela dança de Aimée e virei para os lados, para ver se alguém tinha percebido. Não. Ninguém. E um fato interessante: a máscara mudava um pouco a minha voz. Aquilo seria útil. Ajustei a minha capa e abaixei mais ainda o chapéu para dar um pouco de mistério.  Tudo bem... Eu havia dito que eu apenas cultivaria o ódio por Aimée hoje, mas eu não perderia a chance de agir com ela com um lado que eu quase não usava atualmente. Conquistador e romântico. E detalhe. Eu acho que eu deveria parar de encará-la um pouco.
 
Virei-me de costas por um momento, adentrando em meio aos convidados e observando todas as fantasias e coisas do tipo. Algumas garotas estavam realmente sexy’s e aquilo me fazia abrir um sorriso sacana. Eu poderia ir em alguma delas, mas por que algo me impedia? É o mal de Aimée. Aceitei relutante aquele meu pensamento, mas essa era a verdade. Eu estava começando a me prender a Aimée.  Bom, voltando às fantasias, tinha outras que eram bem esquisitas. Como a de uma garota loura, acho. Estava vestida de gato, mas não uma gatinha sexy, era mais para estilo Garfield. Franzi as sobrancelhas com um pouco de desdém e tornei a me virar para onde Aimée e as irmãs estavam. Antes disso, claro, eu vasculhei o meu bolso interno a procura do meu celular, mas como previsto eu o tinha esquecido em casa. Ótimo. Como eu iria ligar para Michael?
 
Minha atenção se prendeu nos dançarinos da pista de dança, por um momento, até eu constatar que Aimée não estava mais entre eles. Como ela poderia sumir tão rápido assim? Vasculhei a multidão a sua procura e não demorei muito a achá-la. Em meio a tantas fantasias com cunho pevertido, a dela estava bem comportada e aquilo me agradava. Não entendi realmente o porquê, mas apenas continuei a segui-la com o olhar.
 
Eu me atreveria a ir até ela? Ter a coragem de, na cara de pau, ir falar com ela como se eu nunca a tivesse visto? Sorri comigo mesmo enquanto eu pensava nessa hipótese e nossos olharem voltaram a se encontrar. Ela já tinha percebido que eu tinha alguma intenção a mais, só eu não sabia o que fazer realmente daqui em diante. Mas eu não poderia decidir nada sem ir até lá, certo?
 
Comecei a me encaminhar para ela dando passos lentos mais decididos. Apesar da muvuca, a minha capa ainda conseguia se mexer para trás, voando levemente. Parei momentaneamente para pensar que eu estaria totalmente vestido de preto não fosse a máscara branca e os detalhes em prata do cinto e da adaga. Aquilo era legal. Eu sabia que mesmo se eu sorrisse amigavelmente ela não veria por conta da minha proteção facial, então apenas mantive a expressão rígida enquanto eu seguia até ela. Os passos que nos separavam foram diminuindo e só aí eu pude ver que ela dançava com outra garota – linda, para variar – e que talvez eu fosse estragar o momento delas. Desde quando você se preocupa com isso, Tobias?. É. Estava certo, eu não me preocuparia com aquilo. Os centímetros se diminuíram com velocidade, mas eu mantive uma boa distância entre nós.
 
- A Minnie não costumava a ter um... Rabo? – Perguntei aproveitando da mudança que a máscara proporcionava em minha voz e ainda aumentando um pouco mais o tom, deixando-o mais grosso. Acho que pelo menos pela voz ela não me reconheceria. Outra parte da minha mente estava se batendo pela pergunta que eu havia feito. Ter um rabo? Duplo sentido, aí vou eu.

Coded by @Lilah!
Toby A. Kerzhakov
avatar
NY
Vai à merda.
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Samira Kavanagh Grigori em Qua 24 Jul - 20:14:51



Let's bathroom
I love the way that your heart breaks with every injustice and deadly fate praying it all be new and living like ----------------------------------- ♥




A música tinha um poder enorme sobre meu corpo, era como se eu fosse controlada por algo magnífico e incompreensível, que não dá pra explicar em simples palavras. Abri um sorriso extremamente belo erguendo as mãos para cima em movimentos lentos e sincronizados com as batidas eletrônicas.

As luzes mudavam de tonalidade em direção da pista de dança. Várias pessoas ao meu redor dançavam loucamente como não tivessem um amanhã, e era isso que eu estava fazendo – algo raro de se ver. Não era costumada a frequentar festas e muito menos estar no meio de tanta gente que eu fazia questão de manter a distancia, mas, por algum motivo lá estava eu, dançando com um rapaz que nem se quer sabia o nome.

Alguns olhares viam em minha direção, olhares maliciosos por parte do publico masculino, porém naquele momento minha atenção só se dirigia as orbes azuladas daquele rapaz, tão misterioso e atraente. Onde será que o vi?, perguntei novamente tentando lembrar-me em vão daqueles olhos azuis. De repente meus pensamentos se dissiparam pelo ar quando meu corpo foi de encontro ao dele em uma puxada brusca e empolgante. Nossas testas se juntaram e, nossos corpos suplicavam por um contato físico ainda maior.

De uma forma surpreendente deixei a Sam responsável de lado por alguns minutos para, enfim, entregar-me totalmente aquela dança lenta e sensual. Mexi meus quadris suavemente, roçando-os em seu corpo; a caricia em meu pescoço fazia todo minha pela se arrepiar. Sorri, mostrando meus dentes bem distribuídos demonstrando que estava gostando.  Levei minhas mãos até seu peito, amassando um pouco o pano que me impedia de sentir sua pele.  Meus lábios tocaram em seu queixo levemente. Joguei meu pescoço para trás a fim de encará-lo, e foi então que sua boca chegava de encontro a minha, ou melhor, quase.

Mas o que?!Algo gelado caiu sobre meu vestido, deixando-me ensopada do meu lado direito. Imediatamente afastei-me o rapaz, com misto de susto e surpresa. Abaixei meu olhar em direção da parte molhada do meu vestido. ”ih, vai rolar barraco!”, um rapaz falou, observando a cena de um canto, assim como vários outros. Escutei um pedido de desculpas, um tanto quanto desesperado e preocupada. Ergui minhas orbes na direção da voz feminina – que vestia uma fantasia de tigre bem chamativa, mas para mim era muito fofa. Sorri com simplicidade. Não ia dar petti por causa de um acidente – o que a maioria daquelas patricinhas faziam, dando aquele típico gritinho irritante seguido de um insulto para humilhar a pessoa.

Não precisa pedir desculpas, foi um acidente. – falei com meu sorriso no rosto. – De qualquer maneira eu iria ficar com cheiro de bebida alcoólica mesmo .  - meu tom brincalhão tomou conta dessa ultima frase.

Já havia visto aquele rosto belo  na Eleonor, mas somente de longe. Eram poucas pessoas que eu conversava e ainda converso, pois não tinha confiança em praticamente ninguém, ainda mais agora que havia voltado de Londres com uma burrada nas costas.

É melhor eu dar um jeito nisso... – estendi mão em sua direção – Eu aqui tagarelando feito boba, pode ficar tranquila com tudo... Eden?- estendi a mão - Sou Samira, prazer – Apertei-lhe a mão e continuei - Não sou igual à maioria que adora pisar em alguém quando surge oportunidade. – voltei meu olhar para as pessoas que nos observavam curiosas, e encarei-as, intimidando-as, o que deu certo, todos voltaram a dançar, beber, conversar e beijar... – Com licença. – falei, assim que me lembrei do fantasma da opera.

Olhei para trás e lá estava ele preso em seus pensamentos íntimos. Toquei sua mão de leve para chamar sua atenção e assim que obtive, dei uma piscadela com o olho direito, brincalhona – Vou ter que dar um jeito nesse acidente, vê se não desaparece. – sorri para ele,  levantando nas pontas dos pés (era forçada por ser baixinha), meus lábios tocaram a maçã do seu rosto, beijando-o com doçura. Logo me afastei entrando no meio da multidão doida e pirada. Não sabia na onde era o banheiro, e como saberia? Nunca fui naquele apartamento e muito menos conhecia os donos, me sentia como uma penetra.

Depois de tanto tempo decidi esquecer meu passado, teria de esquecer, seguir a vida adiante, assim como Chris seguiu a sua. Não podia ficar parada esperando por uma chance, sabendo que nunca aconteceria. Era o melhor para mim, e ir naquele apartamento naquela noite me fizera me distrair referente a todas as lembranças com ele.

As luzes piscavam sem parar e eu estava perdida. Com certeza teria de fazer um tour pelo apartamento gigantesco. Estava tão distraída que sem querer esbarrei em uma pessoa que dançava  timidamente. Fitei a garota vestida de bailarina e sorria fracamente. – Desculpe, eu estava distraída. – tentei me recompor, - pode ficar tranquila que não estou bêbada. ainda. Ok, não havia necessidade de falar aquilo, mas realmente era o meu jeito besta de ser. – Sabe onde fica o toalete? – perguntei. Ela devia conhecer alguém de lá. Eu esperava realmente isso. No minimo passaria uma água ou acharia um pano para melhorar a aparencia da minha fantasia. Bom, vale pelo menos tentar.


Tags:#bailarina #mascarado #tigresa • Nptes: quase beijo, bebida e um esbarro• Clothes: this • Music:  Wind -Naruto  • Thanks Samy
Samira Kavanagh Grigori
avatar
Fazendo filhinhos sz
Hm...
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Edgar Dohrn Morteri em Qua 24 Jul - 20:22:07


PARTY


O sorriso malicioso prosseguia em meu semblante assim como os azulados olhos vidrados. Senti-me surpreendido com a resistência de Emily. As lembranças de beijos calorosos vieram ao meu encontro, deixando-me constrangido. Me afastei, levando, por mais uma vez, a garrafa para minha boca, bebericando o líquido forte encontrado em seu interior. Senti-me, de certo modo, revigorado. A irônica também fora renovada.  Mantive-me calado até o momento em que os lábios de Megan encostaram nos meus e, de imediato, senti o calor em uma junção com sua respiração. Sorri, demonstrando dupla malícia. — Ora, ora. Pensei que fosse demorar para chegar, bom, me enganei — envolvi-me ao envolto da mesma. Pensei, por muito tempo, que conseguiria atordoar Emily. Bom... Enganei-me por mais uma vez. — Eu e Emily nos conhecemos bem, sabe... — sorri, encarando o cisne à frente. — Bem demais. Enfim, apenas ofereci um pouco de uísque para ela — conclui, entreolhando para as duas em longos intervalos de tempo.

O pirata enlouquecido por rum manifestou-se. Ingeri grande quantidade de álcool, sentindo-me zonzo por poucos segundos, recuperando o foco logo após. Emily é retirada do meu campo de visão por alguém que conheço vagamente, deixando-me aborrecido. Eu, então, poderia aproveitar-me e usufruir de minha ironia, mas não. O negro cisne sumira e minhas chances de atormentá-la esvaíram consigo. Girei meus calcanhares e minhas íris azuladas agora focavam na namorada à frente. — Wow!

Os distintos detalhes encontrados à superfície da fantasia causaram certo impacto em mim. O meu toque tornou-se rígido e procurei encostar meu corpo ao dela, também com movimentos rígidos. A mesa recebeu minha garrafa, agora vazia, e, com veemência, capturei uma cujo líquido encontra-se intacto. Bebi. — Me acompanha? — minhas palavras foram levadas para o encontro de Megan.

 
Edgar Dohrn Morteri
avatar
NYC
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Rachel Horowitz-Berry em Qua 24 Jul - 20:57:01


I Wish a Could Run !   ♥

With: NPC | Clothes: Roupa inspirada numa Fantasia de Bailarina. :3 | Feeling: Tired.

 Em meio a todas aquelas pessoas eu estava bem perdida. Não perdida, só teoricamente, não conhecia ninguém e minha unica '' Quase '' companhia saiu pulando e desapareceu. Vi que seria inútil procurar a garota saltitante no meio de todos e as luzes piscantes dificultava minha visão, Fiquei ali parada dançando de costas, não queria que Eckl ou a garota que ele estava, que a poucos minutos quase se beijaram, me visse. Dançava discretamente, parecia a unica coisa que sabia saber ali quase não aparecer.
 Senti algo esbarrar em minhas costas, talvez a minha quase amiga bêbada havia voltado. Me virei rapidamente na direção do autor do esbarro. Me Controlei para não arregalar os olhos e abrir a boca surpresa, por ironia do destino ou algo do tipo a pessoa que esbarrou em mim não foi a garota bêbada mas sim a Morena que estava com Eckl. Dei um sorriso de canto amigável e tentei ouvir o que ela me dizia, o som estava bastante alto, tudo que entendi foi Desculpe, distraída, Toalete ... No momento em que ia responder a ela  meu olhar pairou automaticamente em alguém atrás da garota, Eckl nos olhava com uma certa surpresa e apreensão. O nervosismo tomou conta de mim e eu simplesmente só queria sair dali naquele momento e optei para a forma mais rápida que consegui pensar.
- Não, pior que eu não sei, e eu queria muito ir no banheiro também. Ahn, vamos tentar descobri juntas. Sem o minimo de auto-controle das minhas ações peguei na mão da garota e a estiquei para a direção norte do hall onde tinha um corredor, provavelmente o que dava acesso aos outros cômodos da casa, quem sabe não acharíamos o banheiro e eu poderia respirar e me acalmar um pouco.



#Manhattan #Apartamento 3033 #Party #Alone ♥
I'm the one who want love you more ♥

flarnius
Rachel Horowitz-Berry
avatar
The city that never sleeps.
I don't know, you dare find out?
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Addam Hawthrone em Qua 24 Jul - 21:51:31



 
NOW LET'S PARTY



Depois de uma longa tarde na piscina com algumas garotas que havia convidado, Addam despachava as jovens e entrava a casa com seu roupão preto e óculos escuros. -- Thompson, já preparou o meu banho? -- disse desamarrando seu roupão, ficando totalmente nu, subindo as escadas em direção à sua suíte. -- Sim, Senhor Hawthrone. -- pode ouvir a resposta do mordomo, que certamente já havia preparado um ambiente mais que agradável. Ele chega ao banheiro e sobe alguns degraus para adentrar a banheira, se aconchegado naquela água morna e relaxante, ele retira seus óculos escuros e passa a mão em seus cabelos. -- Nada melhor do que uma tarde relaxante, mas o melhor sempre fica para o final, é hora de ir para a festa! -- sorriu se envolvendo com a espuma que havia na imensa banheira. Após alguns minutos, ele sai do banheiro, com apenas a toalha na cintura. Thompson já havia deixado seu traje para aquela noite. Addam se seca e veste peça por peça. Calças, camisa, blazer, meias e sapatos. Por último, coloca seu relógio e arruma seu cabelo, finalizando com seu perfume importado e caro. Desce as escadas ajeitando a gola de seu blazer. -- Sua carona já chegou Sr. Hawthrone. -- as falas de Thompson despertaram um sorriso irônico na face de Addam, ele sabia o que aquilo significava.

Do lado de fora da Mansão Hawthrone, ele caminhava pela pequena trilha de pedras que sobrepunham o gramado, caminhando até a moto de seu falecido pai, uma clássica Harley Davidson preta, se despedia de seu cachorro, Jack enquanto Thompson lhe entregava um capacete estiloso em mãos. -- Hasta la vista! -- se despede montando na moto rapidamente e partindo em uma grande arrancada. Addam corta as ruas rapidamente entre os faróis dos carros, chamava a atenção entre a multidão, todos sabiam quem era. Ultrapassa todos em grandes velocidade, chegando até mesmo a passar em sinais vermelhos, mas aquilo não era nada, ele havia dinheiro o suficiente para qualquer tipo de multa. Após poucos minutos, ele chegava ao local da festa. Estacionava sua moto e logo descia da mesma, guardava as chaves nos bolsos do blazer, o ajeitando novamente antes de entra no Hall de Entrada.

Finalmente, ele estava dentro, muitas faces conhecidas, algumas não. -- Ok, gente bacana, gente bonita, não tanto quanto eu, mas pode ser um grande oportunidade -- soltou um sorriso sarcástico, planejando coisas para o decorrer da festa. Então avista uma figura mais que conhecida, Emily, acompanhada de Aimée, aqueles poderiam ser grandes alvos, só dependia de Addam, mas ele não teria problemas, mais uma vez, sua lábia não deixaria a desejar. -- Olá Emily, como vai? -- disse virando o corpo de Emily e a cumprimentando. -- Aimée! -- disse a cumprimentando também. A noite prometia.



Addam Hawthrone
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Barbara Murdoch Bertrand em Qua 24 Jul - 22:37:19

You know That I'm Fucking Cute
IN THE NIGHT YOUR HEART IS FULL, AND BY THE MORNING EMPTY. BUT BABY, I'M THE ONE WHO LEFT YOU, YOU'RE NOT THE ONE WHO LEFT ME ♥



Aimée estava aprendendo comigo, até demais... Qual é? Achei que fosse a única narcisista da família! — Ele sabe escolher uma beleza para apreciar.    — Ela disse, sorri de canto ainda olhando para Chenault, minha irmã que aliás, não estava no seu dia mais animados; Eu sentia falta da antiga Chenault, mais solta, extrovertida, alegre... Depois do desastre de Paris ela havia se tornado tão introspectiva quanto às meninas que eu costumava desdenhar. Aimeé parecia fitar outro canto da festa, tentei identificar o que ela possivelmente estaria avistando mas, não consegui — Missão SOS, volto já — Aimeé se afastou de nós deixando uma incógnita em minha mente — Aonde será que esse ser está indo? — Perguntei retoricamente para Chel, não demorou muito para que eu a notasse conversando com um grupo de pessoas do AEI, se não me engano eram Emily, Edgar e... Megan? Oh dane-se. Mas afinal o que ela estaria fazendo? Elogiando a festa que não era pois ela parecia falar mais com Emily do que com um dos anfitriões Morteri... Oh, eu não acredito! Ela estava trazendo Emily para perto de nós, provavelmente pelo motivo dos dois que foram deixados para trás serem um casal... Ouvi de relance a frase que minha irmã dizia — Pelos deuses, Emy, o que foi aquilo? Juro que te vi a ponto de esbofetear Edgar, sem contar a outra menina que apareceu. Achei melhor te tirar de lá antes que fizesse algo que te levasse a se arrepender depois. Sustento minha pergunta: o que foi aquilo?  
— Revirei os olhos e resmunguei para mim — Aimée, sempre tão caridosa... — Ironia carregada. Antes que eu pudesse falar alguma coisa fui surpreendida pelo mascarado que apareceu de alguma forma perto de nós. — A Minnie não costumava a ter um... Rabo? — Ele falava com Aimée agora. Olhe só quem tomou partido. — Céus, mas como as coisas estão ficando animadas nessa rodinha — Não fiz questão de disfarçar minha voz, muito menos de poupar sarcasmo. Não consegui reconhecer um provável suspeito de estar por trás daquela máscara, não gosto de ficar curiosa e de um jeito ou de outro eu descobriria. Repentinamente outro garoto apareceu, ou eu estava totalmente desatenta ou os garotos desta festa eram muito sorrateiros. Esbocei um sorriso fingindo me dirigindo á minha irmã  — Oh, Chenault querida estamos num grupo comunitário e eu nem sequer notei? — Desfiz o sorriso bruscamente revirando os olhos. Eu ainda segurava as mãos de Chenault, preferi ficar em dupla já que aquela não era uma boa ocasião para socializar. Eu sentia falta de pessoas que me compreendessem, que agissem igual á mim; Mas isso não era lá fácil de se conseguir...
Com: Amy and Chel ● Usando: Marilyn Costume ● Humor: Almost Happy ● Note: “Dolores, where is my white peep toe from Louboutin???????????”

▲▼
Barbara Murdoch Bertrand
avatar
NYC
Ugh! No.
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Emily Von Helling em Qua 24 Jul - 23:57:50



I just want .. to be perfect!

O cinismo de Edgar era insuportável. Não conseguia entender como ele pudera mudar tanto em tão pouco tempo. Bom, o Edgar que eu conhecia ficou no passado junto a tudo o que vivemos. O garoto à minha frente era outro, muito mais arrogante e mesquinho. E a julgar pela sua companhia a tendência de seu comportamento era piorar.

Já me preparava psicologicamente para ignorar qualquer ato provocativo da parte de meu ex e sua nova 'peguete de plástico' quando ouvi uma voz conhecida e que pelo jeito, me salvaria daquele horrível momento. Era Aimée, o furacão loiro da AEI. Sorri mais aliviada diante de sua presença e fui envolvida em um abraço caloroso. Ouvi suas palavras de salvação e lhe sorri em gratidão. Mais um pouco que eu passasse em companhia daqueles dois, ou eu vomitaria ou sairia no tapa, o que era menos provável.

Apesar de ainda estar abraçada à Aimée, capturei o frasco da bebida sobre a mesa. Só então reparei em sua fantasia, completamente diferente das fantasias clichês de princesa e outros esteriótipos, ela estava linda. — Bela e original escolha —  Sussurrei para ela e degustei mais um gole da vodka. O copo a muito já estava esquecido sobre a mesa e eu apenas segurava a garrafa. Poderia dizer que ele se encontrava um tanto quanto cheia, ou talvez estivesse mais vazia. Sinceramente? Isso sequer importava.

Sorri falsamente para o casal a minha frente, lhes fazendo um brinde com a garrafa e ouvi o comentário maldoso por parte de Aimée. — Isso mesmo, desfrutem da prazerosa companhia um do outro — Sorri debochadamente e sendo puxada pela mão, me retirei sem olhar para trás. Eu seguia a Minnie loira em meio aos convidados e quando me dei conta, estávamos na pista de dança juntamente à suas irmãs, que como era de se esperar, estavam lindas. Finalmente estava em paz e não precisaria me preocupar em pensar em Edgar e a loira junto a ele, ao menos era o que eu pensava. Aimée logo me questionou a respeito da cena anterior e as consequências que poderiam ter ocorrido.

Outro gole da bebida e a sentia surtir efeito, dei de ombros diante da pergunta e apenas balancei a cabeça negativamente. — Agora não é hora para isso, vamos nos divertir! — E eu não precisava falar novamente, logo o assunto deu-se por encerrado e resolvi me entregar ao momento. Ao som da batida da música, dançava e ria como nunca. Por um momento desfrutei da sensação de não precisar me preocupar com nada.

Vi de relance que alguém arriscou se aproximar da minha salvadora, apenas ri e dei mais espaço para o tal garoto se aproximar. Ele estava mascarado, como grande maioria dos convidados, mas mesmo parecia ser diferente. Procurei olhar em volta e ver se avistava Eden, mas não obtive o resultado esperado, na verdade, o resultado fora muito melhor. Senti as mãos de Addam sobre minha cintura e quando percebi estava de frente a ele. — Olá Emily, como vai? — Sorri instantaneamente e lhe dei um beijo, o cumprimentando. — Estou muito melhor agora e você? — Tomei outro gole da garrafa, ignorando o comentário meio ácido que ouvi por parte de Barbara.

Voltei minha atenção ao amigo recém-chegado e só então reparei em algo: ele não estava fantasiado. — Espera .. qual a sua fantasia? — Ri diante desse fato, Addam era assim .. inesperado e único. Lhe ofereci a garrafa que estava em minha posse e desfiz o coque do meu cabelo. Só então percebi que o restante da 'turma' que estava junto a nós estava meio dispersa. Aproveitei a oportunidade e puxei Addam pela mão para um outro canto qualquer, mais vazio. Esperava que Aimée entendesse, ou talvez não, ela estava um pouco 'ocupada' no momento.


Wearing: this;  With: Gente descente -sóquenão; Where: Party;

template made by neon suicide at @ops
Emily Von Helling
avatar
NYC
hello darkness
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Aimée Murdoch Bertrand em Qui 25 Jul - 1:09:33

One Dance
You know that I'm a crazy bitch I do what I want when I feel like it, All I wanna do is lose control But you don't really give a shit, You go, if you go, if you go with it 'Cause you're fucking crazy Rock 'n' Roll. And that's why I smile It's been a while Since everyday and everything has felt this right And now you turn it all around

– Agora não é hora para isso, vamos nos divertir! – Foi a resposta de Emily. Okay, eu devo ter paciência com ela por muitos motivos, entre eles por ela estar bêbada e ter presenciado o ex beijando outra. Tá que Emily teimava em dizer que Edgar era passado, mas eu particularmente não acreditava muito que amores poderiam ser tão facilmente esquecidos. Por experiência própria, demorei cerca de um ano pra estar totalmente “curada” de uma paixonite, o que seria quando me desse conta de que estava amando? Balancei a cabeça negativamente, tirando aquele tosco pensamento dali. Ora essa, amar... Eu só era capaz de amar Tariq, meu cão lindo e perfeito que nunca me abandonava, na verdade era mais o contrário. Continuava a dançar, tentando ignorar os comentários – excelentes – de Barbie. Internamente, eu não estava suportando a vontade de rir daquela louca. Ela conseguia tirar qualquer um do sério, e eu estava prevendo que ela conseguiria tal façanha a qualquer instante. – A Minnie não costumava a ter um... Rabo? – Ouvi uma voz abafada e grossa atrás de mim e subitamente virei meu rosto para saber de onde vinha. Deparei-me com a máscara de Fawkes em um metro e oitenta de altura. Era intimidador observar tão de perto aquela peça incomum. O sorriso irônico estampado à máscara era interessante, já que a partir dali eu tirava minha inspiração em ironias. Mas o que aquele cara havia dito? – Céus, mas como as coisas estão ficando animadas nessa rodinha – Barbara novamente com seu comentário na propensa hora. Eu sabia que ela não estava nada a vontade com a quantidade de pessoas tão próximo a ela, mas eu podia fazer o quê? Espantar a todos? Mas é claro que não. Era uma festa, oras, pessoas se juntavam umas as outras involuntariamente – algumas por vontade mesmo. Revirei os olhos e sorri de forma cordial para o Mascarado, usando de uma boa dose de educação e paciência. – Fawkes não deveria ser mais cavalheiro ao invés de prestar atenção ao... rabo, alheio? – Continuava me mexendo conforme a música, e, foi o prazo de responder o Mascarado, uma voz familiar chamou meu nome em um cumprimento. Voltei minha atenção para o rapaz bonito que “abraçava” Emily, acenando com a mão e abrindo um sorriso mais largo. – Hey, seja-lá-quem-você-for. – A verdade era que eu conhecia seu rosto, mas não lembrava de seu nome. Sério, eu precisaria procurar um especialista por que minha memória parecia péssima a cada dia. Pelo menos para coisas superficiais, como rostos e nomes, já fatos eu lembrava-me com mais clareza do que desejaria. – Não leve a mal, eu apenas sou péssima com nomes. – Fiz uma breve careta, completando minha frase, notando então que o rapaz não estava fantasiado. Cada louco com sua mania. Bem capaz que ele se fantasiava todos os dias e hoje era dia de fazer o contrário. Olhei para o lado e vi que o Mascarado ainda estava ali, dançando de forma meio tímida. Bem, eu sempre quis dançar com Fawkes, já que não tinha o original, uma cópia deveria servir. Olhei de novo para Emily, mas ela já havia sumido com o carinha que eu não lembrava o nome. Dei de ombros e tornei a atenção para o Mascarado, ouvindo um novo comentário de Barbara sobre a “rodinha”, então fazendo uma boa ação e me dispersando dali, com o Fawkes, claro. Segurei seu braço direito e o fiz caminhar até um pouco mais distante, não queria estragar o humor já afetado da minha irmã que não gostava de se “misturar”. E também, eu estava curiosa para saber quem estava por trás daquela máscara e odiava ficar curiosa. Lancei um olhar para minhas irmãs de “ficarei bem, espero que vocês também” e continuei a dançar, agora de forma mais tímida, mas ainda descontraída, apenas tomando mais cuidado com os passos que dava. – Então, deves ser um fã de Guy Fawkes para escolher essa fantasia um tanto... Inusitada, eu diria. São poucos os que conhecem a história de um grandioso cara como esse, e situo-me entre esses poucos. Poderia dizer-me teu nome para facilitar nossa dança? – Minhas palavras saíram tão cordiais que até me assustei. Talvez fosse o fato de pensar estar falando com um cara esperto e inteligente que baseasse seu interesse com o meu. Esperava sinceramente que eu não estivesse enganada, de decepção já me bastava Tobias. Lembrando dele, foi que notei não vê-lo naquela festa, milagrosamente. Vasculhei então o salão em busca de algum sinal dele, mas não encontrei. Tampouco via seu irmão... Deveriam ter viajado ou coisa assim. O que não deveria era eu estar me preocupando com ele. Era até bom que ele não estivesse ali, o que me daria um pouco mais de tempo para repensar no plano que havia maquinado junto à Barbie. O rapaz à minha frente negou veementemente dizer-me seu nome, então apenas sorri e dei de ombros, ouvindo a música agitada parar e uma mais lenta começar. Two is better than one era tão incomum passar em festas. O Mascarado ofereceu-me uma dança, e eu aceitei de bom grado. Passei os braços por seu pescoço, cuidando para manter uma distância segura, apesar de que aquela máscara o proibiria de fazer qualquer coisa indesejável. – Tá certo, não quer dizer seu nome... Poderia ao menos, então, me explicar por que eu? Digo, entre tantas fantasias, por que a falta de um “acessório” da Minnie o fez questionar-me? – Olhava nos olhos por trás da máscara, impossibilitada de desviar, já que era a única marca pouco exposta para poder desvendar quem estava por trás daquela fantasia. Dançávamos no ritmo da música, passo pra lá e outro pra cá. A curiosidade me consumia, além da estranha sensação de... segurança.

notes: Two is better than one ; tags: Barbie, Chel, Emy, unknow, Fawkes; vestindo: Minnie Costumes; Thanks Maay - TPO.
Aimée Murdoch Bertrand
avatar
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Alice B. M. Davanport em Qui 25 Jul - 2:07:10

I'm Back, Bitchs!
Yeah Oh! This is my grand finale. 'Cause I'm rocking everywhere from Manhattan to Cali. Yeah, I'm on my game, just not forget my name. Baby, shake it, shake it, shake it 'till we break the frame.✖
I'm back!
At the top of my game!<3
O voo a NY foi cansativo e muito entediante, a bateria do meu celular acabou logo no inicio da viagem e eu não me recordei de trazer o carregador comigo. Nós que tivemos que fazer duas escalas, uma em Madrid e outra em Detroid. Eu tive que me sentar ao lado de uma velha com um cachorro tão irritante que eu juro que poderia tê-lo jogado pela janela se o comissário de bordo não tivesse obrigado a mulher a se livrar do animalzinho imundo, mas o pior de tudo foi ter que ouvir a velha tagarelar o tempo inteiro. Ela não calava a boca e eu juro que se ela não fosse dona de uma grande franquia de hotéis eu a teria mandado tomar no cu.
Após o voo desastroso eu finalmente cheguei ao coração dos E.U.A, New York. Peguei o primeiro táxi que vi. Eu estava “ansiosa” para ver minhas priminhas queridas. Chegando ao apartamento delas descobri através de Cherri que elas haviam ido a uma festa a fantasia. Festa perfeita para anunciar a minha chegada a cidade, afinal não é todo dia que uma garota como eu chegava a NY.
Arrumei-me o mais rápido possível. Decidi ir vestida como a Princesa Peach. Coloquei minha coroa de Miss, meus brincos de esmeralda e um vestido curto, rosa com babados. Assim que fiquei pronta chamei uma limusine para buscar-me. Meia hora mais tarde eu estava parada diante do local da festa, desci com cuidado para não cair do salto gigante que estava usando e pedi ao motorista que fosse embora, pois certamente eu teria carona para voltar.
Arrependi-me drasticamente por não ter ido de vestido longo, o vestidinho que estava usando deixava grande parte de minhas coxas expostas, e a brisa fria pareciam mil dedinhos de gelo acariciando minhas pernas, espirrei e entrei o mais rápido que pude. A decoração era razoável e as pessoas pareciam se divertir, muitos riam e dançavam.
Caminhei um pouco de um lado para a outro, distraída a procura de minhas priminhas queridas...

Alice B. M. Davanport
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum