Hall e Sala de Estar

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Hall e Sala de Estar

Mensagem por Secret em Qui 15 Ago - 13:59:45

Relembrando a primeira mensagem :

Hall e Sala de Estar
As portas do elevador abrem-se diretamente neste cômodo. Há uma bela porta de vidro à esquerda que leva à varanda. Todos os cômodos da casa, menos os quartos ficam neste primeiro andar.


Thanks to +Lia atOps
Secret
avatar
Admin

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Hall e Sala de Estar

Mensagem por Rachel Horowitz-Berry em Dom 17 Nov - 15:39:22

Kidding with me like a little doll
Maldita mania - Ou azar - que eu tinha de estar no lugar errado na hora errada, em certos momentos essa minha má sorte me assustava. Burrice de minha parte pensar que terminaria aquela festa do jeito tradicional, bêbada prevendo uma brusca dor de cabeça no dia seguinte, mas eu já devia esperar que as coisas fossem totalmente diferente. As lembranças dos acontecimentos anteriores reprisava claramente em minha memória, como se houvesse acabado de acontecer.

♦ ♦ ♦
Estava sentada sobre o sofá, muito confortável por sinal. Estava tão distraída que não havia nem notado a presença de um garoto no parapeito da varanda, se não tivesse falo comigo nunca notaria sua presença ali. Sorri impressionada com seu traje, ele estava fantasiado de Jason, tive que admitir, sua fantasia estava realmente "maneira" e ele não parecia muito bem. Assenti com a cabeça a ele após absorver com certa dificuldade suas palavras. - Sim, bem legal a festa ... - No instante em que terminei de falar passos aproximaram-se do local. Assim que o garoto-jason falou algo que não compreende me virei para ver quem havia chegado, outro garoto. Não prestei muita atenção no recém chegado, outra coisa havia chamado minha atenção. Na outra extremidade do sofá havia uma caixinha preta. De certo modo aquela caixa havia despertado minha atenção. Sem hesitar deslizei sutilmente pelo móvel até alcançar o objeto. Examinei-o por alguns instantes, talvez pertencesse a alguém da festa. Abri a caixa - talvez a coisa mais errada que havia feito aquela noite - fitei curiosa o conteúdo que tinha dentro dali. Não sabia o porque de estar fuçando aquelas coisas, apenas estava fazendo, talvez o efeito do álcool ainda era presente em mim. -Bom, garotos, se me dão licença, a chapeuzinho aqui irá a caça. - Assim que terminei de falar senti minha expressão mudar, uma careta confusa se tornou presente em minha face, talvez por surpresa em ter falo aquilo. Me levantei dirigindo um breve sorriso aos garotos e me retirei dali. A caixa em minhas mãos era sutilmente escondida por dentro de minha capa vermelha, dei alguns passos e parei apoiando-me na parede do corredor, era estranho mas aquela decoração agora não parecia tão legais aquele momento, realmente me assustavam.

♦ ♦ ♦
Abri os olhos vislumbrando novamente a escuridão que estava o corredor. Respirei fundo e segurei o telefone digital em mãos. Encarei meu reflexo por alguns instantes no visor apagado do aparelho, era visível o medo em meus olhos, porém estava decida. Comecei a dedilhar o telefone, conectando-me ao tão temido e famoso blog de fofocas da cidade.

"Nada como uma bela cidade para esconder os segredos mais sujos de alguém. Ser rejeitada pelos pais que preferem uma boa imagem há uma filha delinquente deve ser difícil, certo Angelinne. Nada escapa de meus olhos. xoxo, Secret."

Ouvi a onda de toques e alertas preencherem o Hall. Logo em seguida senti a vibração do meu telefone vindo de minha bolsa, a noticia já havia chegado a todos que acompanhavam o blog, o que deveria ter soado estranho, sua publicações na mesma noite. Olhei ao redor receosa de que alguém houvesse presenciado aquilo, respirei fundo e caminhei até o hall sendo envolvida pela batida da musica exageradamente alta. Olhei certos olhares na direção da garota fantasiada de Alice. Notei a presença de um garçom fantasiado de esqueleto, não contive um breve riso e peguei uma bebida sobre a bandeja. Dei um curto gole na bebida esperando que aquilo fosse me reanimar de alguma forma, esperava que aquele liquido viesse carregado de um choque de adrenalina só assim seria possível continuar naquela festa que mais parecia um jogo muito assustador.
Rachel Berry está com NPC'S em Uma festa de Halloween e usava Fantasia de Chapeuzinho Vermelho. Thanks clumsy do SA
Rachel Horowitz-Berry
avatar
The city that never sleeps.
I don't know, you dare find out?
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall e Sala de Estar

Mensagem por Billie C. Thénardier em Qua 27 Nov - 20:49:27




tag: Com Rachel; wearing: Click; notes: notes;
Gostosuras, ou travessuras.

A varanda já não mais parecia tão agradável. A maioria que se encontrou, por acaso, no local, já havia se dispersado. Então, o que eu fazia ali? Sem ninguém. Só eu, eu mesmo e a lua, enorme e cândida, me fitando, como se dissesse em uma voz mais rígida possível: “Garoto, você não é flor que se cheire!”. Também acho, Lua. Cheirar, não é meu forte. Mas talvez eu seja flor que se fume. Né?
Desço a mão pelo macacão da minha fantasia de Jason. Noto que um dos bolsos do mesmo, tinha um conteúdo um tanto quanto agradável. Mesmo eu não me lembrando de ter deixado aquilo ali. Mas quem liga? Maconha é maconha. Irá ter o mesmo efeito de sempre.
Minha mão puxa o conteúdo, e me surpreendo, ao constatar que eram, na verdade, além da maconha, papelotes de pura cocaína. Quem resolveu me dar um agarradinho estava de parabéns.
Permaneço na varanda, enquanto fumo parte da maconha, preservando o restante, e a cocaína, para um momento mais propício.
Não posso afirmar se era por efeito da droga, ou se minha sanidade mental estava realmente em declínio, mas, uma ideia insana surge em minha mente: E se, em vez de estragar minha saúde, usando toda aquela quantidade de alucinógenos, eu implantasse um pouco deles no bolso de alguém, e ‘sem querer’ chamasse a polícia? Seria demasiado divertido. E daria um up, e um sentimento ruim, que a festa estava precisando para ficar agradável no sentido Bill de compreender.
A ideia era realmente muito tentadora. E não tinha um motivo para hesitar quanto a executá-la, de forma cautelosa, sem dúvidas.
Caminho então para fora daquela varanda, que a esse momento, já estava incendiada pelo cheiro desagradável da erva que havia fumado.
Assim que entro novamente no interior do apartamento, a mudança de clima é notável. Muitas pessoas amontoadas em um só local, geralmente, provocavam isso. O calor humano entrava pelos meus poros. Era uma sensação legal, e ao mesmo tempo sufocante, para quem acabara de fumar três baseados.
Caminho por meio aos vampiros, zumbis e macacos peludos com três olhos (?), até chegar ao local estrategicamente perfeito para a execução do meu maquiavélico plano de animação para festas de patricinhas. A sala. Ali era onde todos se encontravam para um papo tranquilo, mesmo com toda aquela decoração, e todas as teias de aranha.
Muitos casais, muitos amigos. Mas somente uma me chamou a atenção. Era uma garota, aparentemente meiga, com cabelos castanhos, e uma bela fantasia de Chapeuzinho Vermelho, cobrindo o seu notável corpo bem desenhado. De baixa estatura e...sim, era bem bonita.
Ela estava com um cara, que eu não parei para caracterizá-lo. E logo que chego mais perto, noto que na verdade, era uma das garotas que estavam na varanda, quando eu cheguei por lá.
O plano já estava basicamente formado em minha cabeça. Era fácil. Eu simplesmente me aproximava, e puxava um papo, e simplesmente, ao me despedir, implantava em um dos bolsos da fantasia dela uns 2 ou 3 papelotes de cocaína.
Caminho então, ajustando minha máscara adequadamente, até os dois, que pareciam manter uma conversa animada.
- Olá, Chapeuzinho! – Digo, com a voz abafada por trás da máscara. – Sabia que adorei a sua fantasia? É incrivelmente sexy. – Desvio meu olhar, pelos pequenos orifícios da máscara, olhando tudo em volta. – Gosta de cinema? Terror é meu favorito. Jason é incrível! Um assassino, que mesmo depois de matar, e ser morto, ainda volta para se vingar. – Levanto parte da minha máscara, mostrando somente a boca. – Concorda? – Era agora, agora ou nunca. Que seja. – Adorei o papo, foi muito legal te conhecer. E cuidado com os lobos maus por aí, hein! – Dou minha melhor gargalhada bem humorada, me inclinando para dar um otimista abraço de despedida na garota.
Assim que a abraço, minhas mãos deslizam pelo tecido fino da fantasia da garota, e entram em seu bolso. Abro meus dedos, despejando a droga em seu bolso interno. Me afasto, e lhe lanço um sorriso, e uma piscadela, me afastando gradativamente.
O plano, em partes, estava quase concluído. Faltava o toque de chefe. Tiro meu celular do bolso do macacão, dando um pigarreio, aperto o botão que dizia “Emergência”.
Me tranco em um dos banheiros, já ouvindo o “Tum...tum...” do telefone, chamando.
- Polícia de Nova York. – Uma voz feminina e grave fala do outro lado da linha. – Em que posso te ajudar? – Finjo a minha melhor imitação de voz de quem não queria ser descoberto, e prossigo:
- Alô? Oi! Eu estou em uma festa, em Manhattan, e tem uma garota aqui, que está vendendo drogas pela festa. – Mordo o lábio, contendo uma risada. – Ela está com uma fantasia de Chapeuzinho Vermelho,  é morena,  baixinha e bonita. – Escoro-me em uma das paredes do banheiro. – Mas não se deixe levar, ela é extremamente perigosa!. – A mulher pareceu entender.
- O.k. , duas viaturas estão sendo enviadas. Em cerca de 5 minutos estarão aí. – Desligo o telefone, após agradecer cordialmente à atendente.
Saio do banheiro, e caminho até a mesa de doces. Pego um dos doces em forma de barata. E lá permaneço, até que fortes batidas são ouvidas à porta.
A música para, e as conversas se cessam. Até que uma das donas da festa, abre a porta. E assim, 5 policiais adentram a festa.
- Recebemos uma denúncia de que uma garota está vendendo drogas aqui. – O silencia reina no local. – A Chapeuzinho Vermelho. – Todos, de repente, começam a conversar entre si.
E assim, eles vasculham a festa, até que um deles grita. Dizendo que havia encontrado.  




Só  Travessuras.

tanks beecky, at oops!

Billie C. Thénardier
avatar
Em um canto.
Te querendo. :3
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall e Sala de Estar

Mensagem por Rachel Horowitz-Berry em Qui 28 Nov - 20:41:52

WTF !!?? Somebody ?
A batida alta da musica eletrônica explodia em minha mente impedindo-me de ter qualquer pensamento racional. Tudo parecia ter voltado ao normal, os olhares voltados a Angelinne após a fofoca sobre seu passado no Blog da Secret já havia se amenizado, mas as coisas ainda não haviam chegado ao fim. Meus passos firmes seguiam em direção a garota fantasiada de Alice, uma bela fantasia. O copo em minhas mãos estava sobre a metade, aquela metade serviria para algo afinal. Continuei caminhando e de soslaio para os lados e algo chamou minha atenção, Eden. A garota estava ali, todos os momentos passados ao seu lado preencheram minha mente me fazendo parar de caminhar. Mesmo por detrás daquela maquiagem deslumbrante e aterrorizante eu a reconheci. Ela estava numa conversa com outra garota, esta era desconhecida ainda para mim, mas ainda assim era bem bonita e parecia nervosa.
Um desejo forte de correr até Eden e abraça-la me invadiu subitamente, vê-la bem e animada ali me preencheu de uma alegria, um sentimento tão bom que me fez esquecer de quase tudo ao meu redor.

Um leve empurrão me despertou dos meus devaneios, pisquei os olhos sentindo as luzes piscarem incomodando minha visão por instantes. Dei uma última olhada em Eden e comecei a andar novamente pelo salão seguindo meu caminho. Fui interrompida por um garoto que parecia bêbado, e tentava me agarrar. - Ei, chapeuzinho, precisando de um lobo para te pegar? - Não contive a risada com as palavras dele, me virei pra lhe dar um resposta mas novamente fui interrompida por outro garoto, esse eu conhecia, o Jason. Ouvi atentamente suas palavras, ele parecia apressado, seguia falando até por fim me dar um abraço de despedida. Eu fiquei parada com os lábios entreabertos sem entender o que havia acontecido naquele momento, revirei os olhos e prossegui meu trajeto pelo hall.  Após caminhar alguns metros dei alguns passos desajeitados tropeçando em meu próprio caminhar assim derrubando o liquido do copo sobre a fantasia de Angelinne. - Nossa, me perdoe, não foi minha intenção suja-la. - Dei o sorriso mais sarcástico que consegui, isso pareceu afetar a loira de algum jeito, ela praguejava enquanto me fuzilava com um olhar furioso. Morde o lábio contendo o nervosismo que sentia por dentro, mas ainda assim não tirava o sorriso maldoso dos lábios. As pessoa ao redor iam se aproximando para ver o "espetáculo". - Bom, se puder fazer algo pra ajudar, quem sabe jogar um pouco mais de bebida e terminar de estragar essa fantasia brega. - Minha voz não saiu tão confiante quanto esperava, cruzei os braços tentando parecer tranquila com aquilo tudo, mas na verdade tremia por dentro. Minha feição debochante para Angelinne parecia causar mais raiva nela, fúria em seu olhar me causava um certo arrependimento em ter iniciado aquilo.

Em questão de segundos tudo pareceu paralisar, a musica foi desligada assim como as vozes das pessoas ali presente, o silêncio se instalou no hall de uma forma estranha. Me virei olhando entre as pessoa que abriram caminho cinco pessoas,  todas fardadas com roupas pretas, o departamento de polícia de Nova-Iorque. A voz de um que se manteve na porta anunciou a busca de uma garota que vendia drogas na festa, todos se olharam curiosos, eu me mantive encarando ao policial sobre a entrada do Hall, seus olhar frio e sério era intimidador. Estava tão focada nele que não notei a aproximação de dois policias vindo cada um de uma lado. - Chapeuzinho vermelho - Ouvi as palavras dele e foi como se tivesse levado um soco no estômago. Meus olhos presos nele, sentia minha cabeça girar, meu corpo foi tomado por um tremor brusco. Tente me manter calma, poderia ter outra garota fantasiada ali como chapeuzinho vermelho. Senti uma mão firme segurar meu braço e meu coração falhou inconsequentemente, olhei para o lado estupefata enquanto o policial anunciou que havia me "achado". Sentia um nó brusco sobre a garganta, não tinha palavras para aquilo. Sentia os olhares voltados a mim, ouvi alguém chamar meu nome e a voz fez meus olhos se encherem de lágrimas que logo desceram pelo meu rosto. Eden estava parada a metros de mim, seu olhar surpreso e confuso que me fez chorar ainda mais. - Espera, deve ser um engano, eu não vendo drogas. - Minha voz trêmula soou tão baixo que apenas o policial ao meu lado pode ouvi-la. O homem me encarou com um olhar penetrante e um sorriso reto, frio se instalou nos seus lábios. - Srta. houve uma denuncia de que uma garota fantasiada de Chapeuzinho vermelho estava vendendo drogas, todas as discrições batem com você, sinto muito mais terá que ir comigo a delegacia. - O homem pressionou meu braço obrigando-me a caminhar junto a ele. Varri o local com um olhar, todos ali me encaravam com olhares acusadores, senti meu coração se apertar de forma tão incômoda que era semelhante a uma mão apertando-o com toda a força possível. Olhei para Eden que me encarava pasma
- Me ajuda. - Sibilei para ela, não conseguiria falar qualquer coisa durante aquele momento de completo choque. Fui levada até fora do prédio e novamente mais olhares, pessoas aglomeradas ali embaixo curiosas murmuravam entre si enquanto tentavam me identificar. - Sr. Isso foi um engano, eu nunca usei drogas em minha vida, pode coletar meu sangue, o que quiser. Eu não tenho drogas comigo, eu juro. - Falei chorando para o homem que seguia me segurando até a viatura. Ele parou de andar me fazendo parar também, repentinamente começou a remexer pelos bolsos da fantasia, respirei aliviada por tê-lo procurando algo ali que certamente não acharia, foi então que ele retirou de dentro do bolso dois pacotes, não identifiquei o conteúdo. Meus olhos se arregalaram espantada, como aquilo poderia estar ali ? Armação, foi a única coisa que passou por minha mente. Por que alguém armaria para mim, eu não tinha feito nada a ninguém daquele lugar. Novamente as lágrimas inundaram minha face. Fui empurrada para dentro da viatura e logo a porta se fechou. Olhei pela janela e vi a acompanhante de Eden aparecer pela entrada do prédio. Fixei meu olhar ao dela num pedido silencioso de socorro, logo vi Eden atrás dela me olhar, levei a mão até o vidro e logo o carro arrastou me levando dali, sentia me tão desprotegida e perdida que não conseguia falar nada, relutar, só me mantive calada dentro do carro sendo levada para o a delegacia, local onde nem em meus piores devaneio imaginaria estar, ainda mais como uma delinquente.  

Rachel Berry está com NPC'S em Uma festa de Halloween e usava Fantasia de Chapeuzinho Vermelho. Thanks clumsy do SA
Rachel Horowitz-Berry
avatar
The city that never sleeps.
I don't know, you dare find out?
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall e Sala de Estar

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum