Salão Indoor

Página 2 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Salão Indoor

Mensagem por Secret em Sex 27 Jun - 19:55:29

Relembrando a primeira mensagem :

Mascarade Party


Bem vindo(a) Convidado, à Marcarade Party! No convite da festa vem especificando, deve-se usar máscara ".

Data da festa:27/06 (Em off)

✝️


Secret
avatar
Admin

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Salão Indoor

Mensagem por Stephan Mohler Schultz em Sab 28 Jun - 17:42:00


Marcarade Party
Talvez uma noite gloriosa!? Vai saber, tracemos o futuro para que tudo se encaminhe...

   Depois de quase uma semana inteira sem pregar os olhos o jovem tinha conseguido ter uma bela noite de sono, recheada de sonhos que traziam boas lembranças e várias esperanças para o rapaz.
    De fato aquele reencontro com Alice tinha feito o rapaz acordar para a vida e sair de seu inicio de depressão. Nessa noite que conseguirá dormir teve um belo sonho, onde seu pai retornava de uma de suas viagens de trabalho e ficava orgulhoso pelo filho estar tomando certo jeito na vida e parando de ser tão inconsequente. Nesse sonho Stephan também apresentava Alice para seu pai, foi um belo sonho e claramente apenas um sonho, afinal um dos motivos daquela grande mudança com Steph foi o falecimento de seu ausente pai.
   Assim que o alemão acordou em seu quarto de hotel recolheu-se em sua cama, encostando sua costa na cabeceira e segurando suas pernas junto de seu corpo. Uma lágrima chegará ousar escorrer pela face do mesmo, que logo limpou ela e controlou seus pensamentos, tomando foco e as rédeas da situação, colocando seu lado frio para funcionar e esquecer-se das coisas ruins que lhe aconteceram recentemente.  Durante esse momento de variados pensamentos o tal escutou seu celular vibrar sobre seu criado mudo, olhou o celular com indiferença, pois não queria fazer aquele esforço para pegá-lo, pensou um tempo e chegou a simples conclusão que podia ser algo importante. Então tentando fazer o mínimo esforço possível se arrastando sobre a cama, esticando-se até sua mão alcançar o celular conseguiu pegá-lo. Nisto desbloqueou a tela com sua senha que nem era tão complicada, ao desbloquear viu que era uma mensagem de Alice e nesta mensagem continha as seguintes coisas.
“  É hoje o dia da festa de gala da Wendy, não esquece... E venha me buscar! “  
   O jovem alemão respirou fundo com aquela mensagem, estava com certa preguiça para festas, bom mais exatamente para festas de gala com vários engomadinhos e vestidos gigantes, o rapaz odiava essa parte de vestidos gigantes era meio que decepcionante para o tal ver tantas belas mulheres tão cobertas por roupas em abundancia.
   Não demorou e decidiu responder Alice positivamente, então começou escrever sua mensagem em resposta para ela.
“ Já tinha me esquecido, soq conte comigo! Logo chego em sua casa e irei buzinar duas vezes, compreenda meu código u.u kkk “

   Assim que terminou de escrever nem chegou reler a mensagem e apertou o touch para enviar, em seguida uma mensagem de aviso lhe comunicava que sua mensagem tinha sido enviada ao destinatário com sucesso.
   Após jogou o celular ali de canto em cima de sua cama e pulou da mesma parecendo ter lhe aparecido total disposição, não era de se estranhar, boas companhias sempre animaram o jovem Mohler em qualquer ocasião, mesmo quando iria para uma festa onde não tinha muita amizade e conhecimento sobre os anfitriões.

  Encaminhou-se para seu enorme armário ou o famoso closet, pegou seus sapatos e uma roupa mais social, roupam bem chiques e consequentemente caras, as deixou sobre a cama tudo em sua ordem e foi para o banho.
 Depois de tomar um belo e relaxante banho foi de volta ao seu quarto, estava nu e começou a vestir-se de frente para um espelho, sempre se olhando e vendo como estava ficando. Como de costume seu olhar critico tinha acertado na roupa de primeira, então não precisou trocar nenhuma peça de roupa que tinha apanhado anteriormente. Logo que terminou de se vestir parou de frente para o espelho e ajeitou seu blazer, sorriu de um jeito sedutor para seu reflexo e comentou.
— Até com o cabelo todo desordenado estou desse jeito, o resultado final vai ser uma maravilha! —  Falou em um ar extremamente convencido e foi rumo ao banheiro de seu quarto, abriu o armário do banheiro e pegou um spray logo que o fez ajeitou seu cabelo com mão e aplicou o spray meio de longe da dar uma fixada, também para melhorar o aspecto do tal. Assim que terminou de ajeitar seu cabelo saiu do banheiro e pegou o celular sobre a cama, o enfiou em um bolso bem camuflado de sua calça. Então foi saindo daquele local para pegar seu carro e assim buscar Alice.

                                                                                             
[...]

 Em extrema velocidade Stephan não dirigia, certamente pilotava sua McLaren MP4 12-C Spider. Em uma velocidade tremenda o rapaz percorria pelas estradas, sentindo o vento bater em seu rosto, adorava aquela emoção de dirigir em alta velocidade em carros de preços absurdos, adorava aquele gostinho da morte batendo em sua porta e com isto acelerava cada vez mais.
Até que começou reduzir, pois já chegará à rua da casa onde Alice estava, parou em frente a casa e acelerou firme sem o carro sair do lugar, fazia o motor dele roncar e incomodar os alheios que ficavam impressionados com aquela máquina. Ele riu para uma jovem que passava na calçada e babava, então retirou foco dela e deu às duas buzinas para Alice vir.

 Assim que ela saísse pela porta de casa, Steph sairia do carro e abriria a porta do carona para ela como um cavalheiro que em certas horas ele conseguia ser. Então iria averiguar o vestido e ela enquanto ela entrava, tomaria o outro lado do carro e já entraria ao volante comentando com uma voz forte e convicta de suas palavras.
— Mesmo sendo muito tecido lhe envolvendo, ainda está muito bela... — Terminaria a frase virando o rosto para ela e lançando um sorriso, junto de um olhar bem “provocante” digamos.
Logo olharia para frente e daria partida em sua McLaren, já arrancaria fazendo uma gracinha com um pisar firme no acelerador.
Depois de um belo tempo dirigindo rumo ao Palais des Celébrations o rapaz já notava estar bem próximo de seu destino, então reduziu um pouco passando com certa tranquilidade por um túnel que tinha algumas iluminações precárias.

Após sair daquele túnel não demorou em que Alice e Stephan chegassem ao local da festa. Steph parou o carro em frente ao local e esperou que Alice tomasse atitude de pronunciar algo, preferiu não aguardar muito e abriu a porta do seu lado, saiu e caminhou até o lado oposto e assim abriu a porta para Alice. Estendeu sua mão para ajudar ela a sair do carro com aquele vestido e assim que ela saiu um manobrista já aparecia dizendo algumas coisas. Steph olhou o manobrista de um jeito superior e jogou as chaves para o tal dizendo.
— Cuidado com o meu precioso... Não queremos que esta festa termine em confusão e demissões de jovens funcionários. — Disse aquelas coisas com autoridade e seriedade, afinal odiava deixar seu carro na mão de manobristas, principalmente manobristas que aparentavam ser tão jovens.
  Assim que o manobrista saiu com seu carro o levando para o local correto, Steph já estava ao lado de Alice lhe dando o braço para que os dois pudessem adentrar aquela festa juntos, afinal mulheres sabem lidar melhor com isso de entrar em festas de aniversário e festas de gala não era a área do rapaz.




Notes - Acompanhado de Alice ; Local - Palais des Celébrations; Vestindo: Isso

Thanks Maay From TPO.


Stephan Mohler Schultz
avatar
De boas leeq .__.'

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Barbara Murdoch Bertrand em Sab 28 Jun - 18:31:42

But your blades don't hurt when you have no fear
You use your words as a weapon


Eu havia passado o dia todo desde a manhã bem cedo cuidando de meus últimos deveres de comitê, parecia que quanto mais perto se chegava do fim de meu reinado mais a corda em volta do meu pescoço se estreitava. Mas a verdade é que eu não me importava com meus deveres, eu gostava de “Queenzar” expressão que já era utilizada há tempos por não sei quem que tenha antecedido meu comitê, mas de qualquer forma eram as criatura projeto-de-socialite quem ferviam meu cérebro em cólera. As papeladas e telefonemas para cada lugar de Nova York ocupavam e silenciavam os meus pensamentos “Quando o trabalho vira seu passatempo significa que já é hora de você rever como anda seu círculo social” Dizia meu pai. Como se Conrad entendesse alguma coisa sobre social já que desde que eu não sabia usar minhas próprias pernas pra caminhar ele era um completo workaholic.

O sol já respingava seus últimos momentos de luz no horizonte quando eu começara a me arrumar para a festa de Wendy, como sempre eu bem informada dos eventos de Manhattan fora anunciada da festa de aniversário esplêndida que a universitária Freibövich daria no final de semana, me oferecera para ajudar com o vestido já que ter meu nome constante nas colunas de moda de NY eram o point para o sucesso da minha futura carreira. Eu simpatizava com Wendy, era uma garota de personalidade forte, apesar de possuir o defeito de ter estampado manchetes da elite acampanhando Edgar Morteri. Afastei o pensamento colocando uma careta de nojo nas minhas expressões encarando a mim mesma no espelho. O Vestido que eu escolhera pra mim seria do mesmo catálogo que eu recomendara pra Wendy, a coleção primavera-verão dos vestidos de Rami Kadi possuíam a cara da alta sociedade nova-iorquina e não havia nada melhor que pudesse ser escolhido; ofuscaria todo o resto da alta-costura ou da pseudo alta-costura que apareceriam no salão. Dolores que não se chamava Dolores me ajudou a ajustar o vestido, já usara muitos vestidos longos e bufantes como aquele, mas o ajuste perfeito não poderia ser auto-realizado; Alguns apertos no corset, ajustes nas anáguas, e consertos de amarrotados sobre a seda e o cetim das saias do vestido. Sem muitas jóias para poder usar a tiara Tiffany’s digna de realeza que eu possuía desde os quinze. Pérolas nas orelhas e o tradicional Louboutin nos pés: Cravejado de pontinhos brilhantes no melhor estilo cinderela. O coque adornava o ouro dos meus fios de cabelo perfeitamente adaptados á jóia.

Lembrei-me que Aimée me esperava, a noção do tempo era perdida facilmente quando eu estava imersa na minha vaidade, e frequentemente eu me esquecia que estava atrasada em momentos como este.

Eu já estou descendo, não precisa se descabelar! — Gritei do meu quarto para Amy que estava provavelmente no primeiro andar. Segurei o amontoado de saias que era meu vestido e caminhei em direção de minha irmã, com dificuldade para descer as escadas já que todos os panos não me permitiam nem ao menos enxergar meus pés. Para a minha surpresa, Aimée ainda não estava lá, um sorriso malicioso percorreu meus lábios e eu aproveitei para pegar o telefone e discar o número de Wendy para conferir uma última vez.
Wendy, mon Cher! Espero que você já esteja com o belo vestido que escolhi pra você. Estou ansiosa. ¬— Anunciei ao ouvi a resposta do outro lado da linha. —
Não contrariaria a decisão sobre moda de uma Bertrand, Barbie, nos vemos na festa. Certamente, não preciso adivinhar que você está deslumbrante. Eu não costumo errar. Até lá. — Sorri discretamente desligando o telefone quando notei Aimée descendo as escadas; tão linda como uma Bertrand costumava ser. Me assustava a forma como Aimée havia crescido desde a nossa chegada em Nova York, tanto físico quando psicológicamente. Eu me lembrava de como eu aparentava ao chegar na cidade. Manhattan transformava as pessoas, assim como a alta sociedade. Ambas havíamos crescido, dignas de rainhas, como devia ser.

Suspirei ao vê-la se aproximar e inclinei a cabeça levemente para a direita, um sorriso terno estampava meus lábios. — Você está estonteante. Mas nós estamos atrasadas, o que está pensando? Que tenho todo tempo do mundo pra te esperar se arrumar — Gargalhei irônica vingando todos os anos de sermões pelos meus atrasos. Entrelacei nossos braços, e caminhamos em direção ao elevador da cobertura. Nos encontraríamos no caminho com Angelinne Villenueve, uma das amigas de Aimée que eu ainda não conhecia.

O motorista nos esperava na portaria mantendo as portas traseiras do Rolls Royce abertas. Olhei para o porteiro que observava com olhos brilhantes as duas loiras caracterizadas como realeza deixando as portas do prédio.

O que está olhando? Não vê que estou arrastando a barra do meu vestido no chão? Vai ficar aí babando como um imbecil ou vai segurar a cauda do meu vestido? — O homem se assustou e apressou-se para segurar o tecido que rastejava pelo chão até que eu me sentasse no couro dos bancos. — Mais cuidado, o vestido custa mais do que você recebe em um ano. — O repreendi com uma expressão aborrecida. Fechei as portas e olhei novamente para Aimée. Uma vontade súbita me apareceu, e eu sentia uma angústia contra meu peito; Envolvi minha irmã mais nova em meus braços apertando os olhos enquanto a abraçava. — Obrigada irmãzinha. Obrigada por estar aqui quando eu preciso. Obrigada por me fazer melhor quando nem eu acredito em mim mesma. Nunca se afaste de mim, nunca, nunca, nunca. — Afastei-me sorrindo radiante enxugando com o indicador uma lágrima do canto do olho antes que ela pudesse cair arruinando minha maquiagem. — O que está esperando? Palais, já! — Ordenei ao motorista que ligou o carro de imediato.

...


As luzes do Palais podiam ser vistas de longe do salão, e os fotógrafos se amontoavam na porta do local. Ainda no carro recebi uma mensagem de Rachel Van Horowitz que até onde eu sabia era uma amiga de Wendy. Anunciava-me que Wendy já havia chegado no Palais, menos mal já que chegar antes da anfitriã era uma gafe a ser evitada. O carro estacionou em frente a entrada e logo podíamos ouvir os apelos dos fotógrafos por uma pose. Segurei minhas saias caminhando pelo corredor que dava acesso às portas, parando com as garotas para algumas poses.

A decoração do salão estava de fato deslumbrante. Wendy possuía bom gosto e eu já sabia. Procurei pela figura rosa do vestido que eu escolhera pelo salão, e encontrei. Wendy estava merecedora das luzes da noite, caminhei até a aniversariante e logo notei Rachel ao seu lado.

Feliz aniversário Wendy! — Cumprimentei-a com um leve abraço e um beijo na bochecha. Entreguei a caixa azul marinho com as iniciais HW gravadas, um bracelete de ouro branco e diamantes Harry Winston. — Minha mãe costumava dizer que o melhor presente que pode se dar á uma mulher são jóias. Além disso, os diamantes são os melhores amigos das mulheres. — Disse com um sorriso discreto. — A festa está linda, espero que tenha uma ótima noite, um ótimo aniversário e muitos anos de vida. — Soprei um beijo me despedindo e voltei para encontrar as garotas novamente. — E então, quem quer uma bebida? — Suspirei a pergunta encarando Aimée esperando pela resposta.


OUTFIT: Here  | WITH: Amy and Angel | NOTES: Never walk away from me |

Barbara Murdoch Bertrand
avatar
NYC
Ugh! No.
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Vika Lobacheva em Sab 28 Jun - 19:26:43

Wendy's B-day ● Presente Surpresa ● Wearing this ● Ready to Party
Nova York estava pegando fogo, como sempre. Cada esquinha possuía um bar, uma boate ou uma casa de show com uma atração diferente. Contudo, esta noite eu daria o ar da minha presença em mais uma festa da juventude local. A herdeira mais nova do magnata bélico Gregorio Freibovich estava dando uma grande festa para comemorar seu vigésimo primeiro aniversário. Lembro-me desses meus dias como se fossem semana passada. Minha juventude passou tão rápido, com tantas mudanças repentinas acontecendo que fica até difícil de contabilizar o tempo que eu gastei em cada uma das minhas carreiras.
 Contudo esta noite não iria me trazer lembranças tristes. E não foi pesquisando muito que eu tive uma grande ideia. Mês que vem a Versace lançaria uma prévia de sua nova coleção para 2015. Claramente não havia outra revista mais indicada para este trabalho. Eles nos mandariam as peças no final de semana e os desenhos esta manhã, para o meu e-mail. Sabia que Wendy, além de jovem, era uma moça esbelta e com uma beleza incomum para sua idade. Até porque a mesma tinha um longo histórico no mundo da moda.

●   ●   ●

 Um sorriso genioso se formou em meu rosto enquanto eu erguia a máscara a altura de meus olhos e saltava de meu carro na direção dos flashes. Meu vestido havia sido feito especialmente para esta ocasião. Assim que eu vi seu desenho eu me apaixonei. Uma pequena marca russa que tentava se lançar no mercado americano. Eu sinceramente tinha uma certa atração por modas emergentes. Para falar a verdade, foi assim que eu chegue à Wendy. Minha matéria primeira matéria na Vogue (do Reino Unido) foi sobre desenvolvimento de Andrômeda Shoenberg no mundo da moda, ou melhor, a mãe dela. Tive até a oportunidade de me encontrar com ela nesta época.
 Já dentro do encantador salão, não foi muito difícil de encontrar a aniversariante. Todos os holofotes estavam virados para uma figura de sofisticação e elegância ao pé da escada. Demorou um pouco para que a legião de sorrisos falsos se dissipasse e me deixasse passar.
- Wendy Steris Mäwn Shoenberg Freibövich. – Nunca tive muito problema com pronúncias, já que tive que aprender tantos idiomas diferentes. – Veja só como você está encantadora. Bela e forte, como a sua mãe. – Sorri de forma aconchegante. – Bom, eu não quero te tomar de sua festa. Eu só vim mesmo para lhe desejar um ótimo aniversário, muita saúde, e te trazer o seu presente. – Segurei a sua mão e respirei fundo. – Imagino como você deve estar ocupada e como deve estar cheia de convites, mas a Versace nos confiou uma prévia de sua nova coleção e eu acredito que você seria o rosto certo para esta surpresinha. Porque, cá entre nós, NY tem muitas jovens, modelos ou não, mas você se sobressai. Sabe? Presença e um “algo mais”. – Ri e fiz uma breve pausa. – Como eu disse, isso não deve ser uma novidade para você, mas ficaria honrada de ter a sua presença conosco. – Olhei de forma encorajadora pra Wendy enquanto esperava uma resposta. Neste momento ignorei a presença de qualquer outra pessoa ao nosso redor e tentei lançar o máximo de energia positiva, para que ela aceitasse. Obviamente eu poderia colocar qualquer modelo, mas quando o rosto era conhecido tudo dava mais certo. Não só pelas outras sessão dela, mas conhecido por perto. Uma revista em NY para pessoas de NY precisa de rostos conhecidos e vistos nas ruas da cidade.
Vika Lobacheva
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Edward Vane em Sab 28 Jun - 20:43:37





Wendy's Birthday

Com: Emily Von Helling

 

Smoking, fazia tempo que não usava um. Mas agora teria um excelente motivo, e o melhor, é que sua companhia era incomparável, e insubstituível, ainda chegaremos lá. Naquela noite, podia dizer que estava realmente contente, tão contente que alugou um carro luxoso para seu irmão Nicholas que agora já completava seus dezoito anos, e que com certeza levaria alguém que lhe fizesse bem estar ao lado. Edward por outro lado, tinha certeza de sua escolha.  Procurou o perfume mais agradável, e o sorriso não sumiu de seu rosto por nenhum instante enquanto seus pensamentos estavam nas nuvens pensando nela.
Admitiu para si mesmo que toda aquela preparação tinha sido em vão. Nem soube onde deixou as chaves do carro, e aquela procura que lhe fez revirar todo o quarto levou o tempo que usou para arrumar-se para a festa de Wendy, que, não conhecia.  
Depois daquele imenso tempo para descobrir que a chave estava dentro do próprio criado-mudo, apressou-se em descer de elevador para o estacionamento do hotel. Enquanto o elevador não chegava nem no primeiro andar, ficava pensando, e pensando.  E quando, finalmente, pisou com os pés para fora do elevador, e caminhou em direção ao carro, desembolsou o celular, e procurou enviar uma mensagem rapidamente para Emily, avisando que estaria indo buscá-la, e o rapaz mais bonito que estacionasse em frente de sua residência seria ele. Brincadeiras á parte.

Um carro da marca Porsche, cor branca? Ah, sim, era seu. O guarda do estacionamento quase desconhecia o dono do veículo e aquilo deixou Edward angustiado, mas, nada estragaria sua noite. Ligou o motor, e fez questão de acelerar deixando no estacionamento, aquele eco de um motor potente, e o som da aceleração afinada.
As ruas de NY estavam agitadas, e por quase todos os lugares que passou notava alguma festa ou balada agitada esbanjando os sons altos pelas ruas nova iorquinas. Preferiu fechar os vidros e permanecer naquele interior climatizado de seu carro, ao som de música tocada em um violino. Era um instrumento musical que lhe agradava, e que tinha o som mais perfeito de todos, em sua opinião.
Quando chegou exatamente na frente de onde Emily residia, buzinou, e esperou.
Não demorou quase nenhum segundo para que a garota aparecesse prontamente, e tão bela que fizeram as suas íris vibrarem em admiração, e seu peito apertar-se. Saiu do carro, e cumprimentou-lhe, com um beijo doce e lento, nas costas da mão. Deixando-se fascinar pelo aroma doce, e delicioso da mulher, e seu olhar enigmático.
— Você está linda. —  disse, em uma voz baixa, enquanto lançou-lhe um olhar de admiração.

[...]


Uma comemoração no melhor estilo possível, de fato. A música era boa, e não havia toda aquela agitação barulhenta que chegava á denigrir seus ouvidos. Eram ótimas melodias, um clima fino e até contagiante de tantos sorrisos e gracejos.
Pôs a máscara no rosto, cobrindo-o. A máscara era bastante simples, Edward não tinha muito conhecimento na área: era escura, com tons acinzentados e pontas triangulares. O salão era belo, mas, a moça ao seu lado fazia daquele lugar um paraíso de belezas. Ergueu o braço ligeiramente curvado para que Emily pudesse acompanhá-lo, e logo deu-lhe um sorriso exibindo os dentes esbranquiçados. Disse-lhe por um sussurro lento que levaria um pequeno presente à aniversariante, e assim que ela assentiu, tirou duas pequenas caixas de seu bolso.
Uma era de cor acinzentada, e outra era de cor escura. Com uma leve confusão, olhou as duas, e uma guardou no bolso, enquanto a outra - de cor cinza - permaneceu na sua mão. Desvencilhou-se rapidamente de Emily de maneira que Edward pôde contorná-la e tocar-lhe as mãos devagar e de maneira carinhosa, como um gesto afetuoso.
— Um belo anel, para uma bela princesa. — disse, e abriu a pequena caixa atiçando a parte superior para cima, e no interior revelou-se um anel de cor brilhante, dourado, onde pérolas ornamentavam as bordas ao redor, e que reluzia seu brilho por entre as luzes do salão. Fez questão de colocar por entre o dedo de Emily, sabendo certamente qual era a medida de seu dedo.
Logo, em seguida, chamou-lhe novamente para acompanhá-la e foi ao encontro de Wendy, a aniversariante da noite. E encontrou-lhe logo após de apanhar um coquetel que um garçom oferecia.
— Boa noite, Wendy! Muito prazer, Edward Vane, e ao meu lado, Emily Von Helling, não sei se já se conhecem. — sorriu contente ás duas. E logo puxou aquela mesma caixinha de cor escura. — Tenho que desejar meus sinceros parabéns, e você está muito bonita neste vestido. Ah, sem esquecer, trouxe-lhe um presente e espero que goste.
Edward tinha um breve sotaque inglês, de sua terra natal. Entregou a pequena caixinha semi aberta para Wendy onde se revelava mais um anel como presente para a aniversariante. Mas, secretamente, o anel que havia dado para sua acompanhante era infinitamente melhor.  Virou-se ao encontro de Emily quando seus gracejos á aniversariante já havia terminado, e logo, convidou a a senhorita Von Helling para sentar-se, pois também esperava a vinda dos irmãos, e pelo que sabia, ela também tinha uma irmã.
Sentou-se nas cadeiras ao redor de uma mesa esbranquiçada e pediu uma bebida também para sua acompanhante. A bebida logo chegou, e ele não tirou o olhar dela nenhum momento. Admirava o contorno de seu rosto, o arco de suas sobrancelhas, o brilho de seus olhos, o desenho de seus cabelos, e o modelo de seu sorriso. Como se ela fosse a única escultura humana mais perfeita que fora concluída.
Seu coração apenas palpitava, de acordo com a música, e com os olhares dela sobre ele.



Edward Vane
avatar
L'amour... J'préfère de temps en temps, je préfère le goût du vin.
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Freya Lindqvist em Sab 28 Jun - 21:56:06


Got a real good feelin’
Stand on the box, stomp your feet, start clapping. Got a real good feeling something bad's about to happen. Drinks keep coming, throw my head back laughing. Wake up in the morning’, don’t know what happened. Whoah something bad...
A noite nunca era totalmente noite na cidade que nunca dorme. O povo nova iorquino tinha bastante energia, ainda mais quando se tratava de festejar. Parece extremamente idiota dizer que eu vou a festa para me esconder, mas como eu já disse, eles nunca atacariam em um lugar tão cheio. Até porque essas festa nunca eram simples. A elite daqui é composta de um bando de filhinhos de papai miados e que fazem questão de equipamentos e guardas de segurança máxima para impedir penetras.
Logo, enquanto eles se protegem de mais uma loser tentando se integrar, eu me afasto de uma poderosa gangue de mafiosos europeus que está tentando me matar a quase um ano. Engraçado... Nem o garoto mais valente sobreviveria um dia se quer na minha pele. O que me deixa realmente irritada é o fato de eles acharem que conseguiriam só porque um ator idiota que fazia papel de um adolescente idiota qualquer conseguiu.
Meus lábios estavam revertidos de uma brilhante camada avermelhada do único batom que eu tinha, do pequeno estojo de maquiagem que eu havia ganhado de presente da Agente Holland. No meu ultimo dia na Inglaterra ela veio até mim e disse que não sabia como eu me sentia, mas ela já tinha estado em NY quando era adolescente e sabia que eu ia precisar daquilo. Acho que foi uma das poucas vezes na minha vida que e realmente quis sorrir. Ela é uma pessoa boa de puras intenções. Respirei fundo e pus a máscara de couro, amarrando a fita por baixo de meus longos cabelos castanhos. As ondas soltas dançavam em minhas costas a medida que eu andava pelo quarto para terminar de me arrumar.
Ajudei Valentine a se arrumar também, mas eu não estava conseguindo decifrar as suas feições. Acredito que ainda estaria com raiva de mim, por querer protege-la. Pelo menos espero que ela tenha gostado do vestido. Não posso gastar muito dinheiro, porque só liberaram parte da nossa herança, desde que eu começasse a andar com um rastreador e um par de agentes da Scotland Yard do outro lado da rua. O pior de tudo é que eu não gostava de gente me tratando como bebê, mas eu também não consegui admitir que Val tinha quase a minha idade e era tão bem preparada quando eu.
Quando nós duas estávamos prontas eu liguei para a agência de táxi e pedi por um carro. Não parei para falar com os garotos, pois imaginei que, se eu não os encontrasse na festa, provavelmente iriam fazer algo melhor. Quando o carro chegou, tentei ajudar Val a entrar, por causa do vestido, mas ela me lançou um olhar de ódio e eu me afastei. Enquanto ela vencia sua própria batalha eu apalpei o lado da minha coxa, por baixo do mundo de tecidos, para me certificar de que a minha faca de bolso estava presa lá. Fala sério, eu não era tão despreparada assim. Ainda mais, que eu era excelente com lâminas.

Não demorou muito para que chegássemos na festa. Passamos rápida e discretamente pelo corredor de paparazzi e entramos no salão. Não era tão extravagante quando o da ultima festa, mas era incrivelmente luxuoso. - Você ainda está com raiva de mim? – Falei ao ouvido de minha irmãzinha enquanto descíamos a escadaria - Val, por favor, não faça isso comigo... – Respirei fundo. Eu nunca chorava.
#Wendy'sParty #Alone #Cute&Dangerous #Vestindo isto #Oh, if I knew @
Freya Lindqvist
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Convidado em Sab 28 Jun - 23:53:43

Sail by night.
A
noite sobrepunha-se sobre as gigantescas construções do homem. O dia havia sido marcado por notícias animadoras. Festa, festa, festa, sexo, ops... festa, e por aí vai. Como todo final de semana, a cidade bombava. A questão é que desta vez, uma das mais noticiadas entre elas, era a de aniversário da pequena Wendy Freibövich - uma universitária pertencente a elite.

Sorriu, continuando a digitar no celular. Seus dedos moviam-se de forma rápida e frenética, sempre focados em responder as mensagens de texto o mais rápido possível. A cada segundo, o celular vibrava; sempre noticiando algo, perguntas sobre como iria ou com quem. Respondeu todas, arrastando o botão ao lado do aparelho, deixando-o no modo silencioso. Levantou e com o mesmo sorriso de antes, adentrou o quarto. Era hora de se arrumar.

[...]

Em frente ao espelho estava o moreno. Inspecionava detalhadamente o visual, olhando o terno de cima à baixo, mexendo o corpo algumas vezes para que conseguisse ver por um todo. Parou, indo procurar o último item que precisava.

- Isso é sério? - Reclamou depois de algum tempo rodando os olhos pelo quarto a procura da máscara. Passou a mão pelos poucos fios empapados de gel que caiam, começando a mexer entre as peças de roupa jogadas pela cama e pelo resto do quarto. Chutou uma das caixas ao chão, tentado se livrar da raiva de perdido-a. - Acho que terei que ir com essa. - Puxou de uma gaveta, uma máscara quase idêntica a que procurava, isto é, exceto por alguns detalhes na lateral. Essa, era simples, quase que sem nada. Apenas uma máscara preta com bordas douradas, que cobria boa parte do lado direito do rosto.

Novamente ajeitou-se em frente ao espelho, dando uma última olhada antes de deixar seu apartamento. Tudo que precisava estava consigo. O presente, a máscara e é claro, o celular. Apalpou os bolsos, conferindo tudo de novo e com uma expressão animada, deixando o ambiente.

[...]

Não demorou e estava no local onde seria a festa. Havia uma grande massa de pessoas na porta. Tanto convidados, como também fotógrafos e os curiosos de sempre. Abriu um sorriso, passando pela entrada o mais rápido possível. Não gostava de ter pessoas demais focadas em si. Como antes, ajeitou os fios de cabelo que caim sobre o rosto e com o mesmo sorriso da estrada, partiu para dentro do salão.

Admirado com não somente a beleza do lugar, como dos que estavam presentes, partiu para o centro deste a procura de alguém que conhecesse. Foi assim, que acabou identificando uma pessoa que não importasse as vestimentas, reconheceria. - Bru? - Colocou a mão sob o ombro do garoto, chamando-o. Tinha certeza que era seu irmão. E por que bulhufas ele estava com um fone de ouvido em uma festa dessas?


wearing here ✖ com: alone ✖ humor: animated
@feito por rufo editado por sky
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Dakota C. Thénardier em Dom 29 Jun - 1:34:52



´Cause we like party!

Olhei a trás de mim, sorri era Candy, aquela garota era uma que ia para umas festinhas quando estava no tédio, me ajudava a fugir de casa quando eu morava com meus pais, enfim, uma companheira para qualquer coisa que pedia, ela e a Domi, uns amores de pessoa! Ela ofereceu uma ajudinha com minha garrafa, eu sorri, a cumprimentei, a final, ela andava sumida, tipo, muito....
Logo um cara se apresenta :Bart. Ele parecia gente boa, sorri me apresentando como Dakota,e me voltei a Candy:-Parece que tens novidades para me contar, não?-Dei uma piscadela com um sorriso irônico, mal eu sabia que ela estava na Willian Ford, e que ela ainda estava por aqui, eu jurava que ela havia ido fazer um intercâmbio... bem ela me contou tudo isso, contei também, já que passamos um tempinho "separadas".
NOTES:Podem interagir a vontade comigo! :3 Wearing:This @ Lotus Graphics

Dakota C. Thénardier
avatar
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Louise Eaton Humpfrey em Dom 29 Jun - 3:06:18

Masquerade Party  


TAG: None | Notes:Interajam comigo, plis ç.ç | Wearing:Frente etrás
Passo a passo eu me arrumara através de aquele convite dado para a festa do 21 aniversário de Wendy,uma graciosa garota onde sempre está disposta para dar as pessoas o melhor,isso pelo o que eu conhecia dela,se bem que eu ainda me perguntava como ela aguentou Edgar Morteri por tanto tempo! Ela sempre fora tão doce e as vezes ele era tão...mulherengo,não que eu não gostasse de Edgar, poxa ele é meu amigo, porém as vezes algumas atitudes dele não o levavam a soberania que ele "exercia"  sobre os outros, dava para ver que ele se impunha como rei, mas pressenti que isso iria mudar... logo logo, parecia que a dinastia Morteri estava chegando ao fim, por alguma razão eu sentia essa queda.
Ao chegar, entreguei um presente pequeno com uma chave contida em seu interior e um endereço,o mesmo se tratava de um estabelecimento na grande área comercial de Manhattan, era um escritório, eu dava isso a cada universitário que fazia aniversário, para ter um ofício mesmo na faculdade para ganhar um pão ou apenas para fazer um investimento, alugando ou vendendo, em geral os universitários adoravam a escolha do presente,assim como Wendy, eu a parabenizei dando dotes a ela, ela agradeceu.
Adentrei realmente a festa e me aproximei do bar, ninguém conhecido na área, pedi uma batida de frutas com vodka e a peguei assim que ficou pronta, saí andando por aí aos cumprimentos de varias pessoas conhecidas do AEI eparando para conversar, inclusive algumas vezes votei para pegar mais batidas.
thanks @LG
Louise Eaton Humpfrey
avatar
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Melissa J. Devereaux em Dom 29 Jun - 9:41:26


Masquerade Ball
Masquerade,paper faces on parade...
Dia de festa hoje aqui em Manhattan, Festa de uma garota da universidade, uma tal de Wendy. E porque não comparecer a essa festa, conhecer melhor a aniversariante e conhecer direito o pessoal?
Seria bom, até porque assim me atualizo sobre o que aconteceu enquanto eu estive fora, certo?Seria um pouco estranho, porque eu seria a ''novata'' na roda, mas se for pra eu me enturmar, por mim, tudo bem.
Eu estava no Starbucks sozinha, tomando um milkshake, quando eu ouvi umas meninas falando da festa e por acaso eu escutei o nome do lugar onde seria realizada a festa. Ótimo, sei onde fica. Terminei meu milkshake, paguei a conta e fui para casa, para me arrumar para a festa.
O que eu iria vestir?Já sei! Fui até meu closet, peguei meu vestido azul-claro, minha máscara dourada meus sapatos pretos e comecei a fazer meu ritual de beleza antes de me vestir. Tomei banho, me depilei, passei creme para o corpo e depois de ter esperado o creme secar, comecei a me vestir. Vesti o vestido, calcei os sapatos, fiz um penteado sofisticado em meu cabelo e senti que estava pronta para a festa. Saí de casa e como por sorte, na hora passou um táxi na porta de casa, eu disse ao taxista:-Para o Palais de Celébrations, rápido!-Eu disse ao taxista, que imediatamente se pôs a caminho de meu destino.
Cheguei logo ao lugar da festa e fiquei impressionada em ver como o lugar estava belamente decorado, tanto por dentro quanto por fora. Assim que eu entrei, não localizei a aniversariante, que deveria agora estar bem ocupada, recebendo os parabéns do pessoal. Decidiria falar com ela mais tarde.
Enquanto isso, fui para o balcão de bebidas e pedi um coquetel de morango sem álcool. E fiquei por ali mesmo, esperando alguém vir conversar comigo.

Tagged: Everybody Wearing: This! and this Credits: The Killjoy Never Die! @ CG&TPO
Melissa J. Devereaux
avatar
NY
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Candice R. Ferguson em Dom 29 Jun - 14:44:29

Candy
NY
Birthday
Acompanhada
do Bart
E Dakota
But you make me wanna act like a girl Paint my nails and wear high heels Yes, you make me so nervous And I just can’t hold your hand You make me glow, but I cover up Won’t let it show, so I’m Puttin’ my defences up 'Cause I don’t wanna fall in love If I ever did that I think I’d have a heart attack You make me glow, but I cover up Won’t let it show
------------------------ Party!
❀ ❀ ❀

Candice continuou a fitar Dakota, que rapidamente virou-se em direção a universitária, dando uma calorosa ‘‘boas vindas''. Claro que já aguardava pelo ato, desde que havia viajado contra sua vontade para a Rússia, a mesma não mantinha contato com muitos de seus amigos de Nova York. Envolveu seus braços ao redor da morena a sua frente, abraçando-lhe. Após o abraço suprir a imensa saudade que estava sentindo, Candice a soltou calmamente, olhando ao redor. Tomou um leve susto ao ver Bart se aproximar sem mais nem menos, logo se oferecendo para ajudar a bebericar o liquido que continha na garrafa que Dakota ainda possuía em mãos, ignorando o fato dele já estar com outra garrafa de bebida. Candice apenas o olhou de canto de olho, voltando a observar Dakota, que com um sorriso irônico, insinuou um possível relacionamento da mesma e Bart, pelo menos foi assim que Candice relevou seu comentário. – Calma ai, esse aqui é Bart, meu amigo, só amigo. – Embasou-se, dando uma confirmação com a cabeça, vendo Bart confirmar aquela falsa afirmação deles terem algo. – Para de ser besta. – Deu um tapa leve no ombro do rapaz que debochava da situação.– Seja um bom cavalheiro e vá buscar as taças. – Dessa vez deu breves tapinhas amigáveis no ombro do universitário, vendo-o piscar e afastar-se. – Então, Dakota. – Desviou seu olhar de Bart para a menina, arqueando os lábios. – Arrumou um namorado? Hein? – Assim que Dakota abriu os lábios para responder Candy, Bart reapareceu, interrompendo a resposta. O garoto estendeu para as duas garotas taças que pareciam reluzir. Candice pegou as duas taças, estendendo os braços rumo a Dakota, que já abria a garrafa que a mesma estava a segurar, despejando um pouco da vodka em cada taça, Candy lhe ofereceu uma taça que logo foi aceita. A universitária levou o objeto até os lábios, ingerindo um pouco do liquido que desceu queimando sua garganta, a mesma piscou três vezes os olhos e sorriu satisfeita.– Você ainda não me respondeu Dakota. – Relembrou a menina em relação à pergunta, vendo Bart tomar de uma vez só sua bebida.
Candice R. Ferguson
avatar
| Nova York |
| Depende de você. |
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salão Indoor

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum