Hall de Entrada

Página 6 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Hall de Entrada

Mensagem por Secret em Seg 8 Jul - 18:15:38

Relembrando a primeira mensagem :

Hall de Entrada
Rodeado por vidraças, o hall é o ponto inicial do apartamento. Distribuído por mobílias refinadas e uma planta, dando o ar natural ao espaço. É uma espécie de anexo que liga as escadas à sala de jantar, varanda e piscina.


Thanks to +Lia atOps
Secret
avatar
Admin

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Hall de Entrada

Mensagem por Toby A. Kerzhakov em Qui 25 Jul - 10:57:12


Good side


Vestindo:This! Com: Everybody OUVINDO: Party’s Music. ONDE: Hall
E para quem pensava que não encontraria alguém pior que Aimée – vulgo eu – estavam tremendamente errados. Barbara Murdoch Bertrand conseguia superá-la mil vezes mais. A sua irônia me dava nojo e eu tive que me concentrar bastante para não respondê-la ou alguma coisa do tipo. Mas também, a onde é que fui me meter? No meio das três irmãs junto com aquela garota de cabelos escuros que eu me lembrava de se chamar Emily.
 
O clima estava carregado por conta de Barbara, e como Emily já tinha arranjado aquele garoto como par e as outras duas irmãs Bertrand estariam juntas, Aimée achou sensato me tirar dali. Eu deveria concordar, mas eu não poderia sair sem dizer alguma coisa para Barbara. A resposta estava na ponta da minha língua mais eu ainda tinha que esperar o momento oportuno, o momento em que eu saberia que ela não viria atrás de mim. A mais nova das irmãs pegou em meu braço direito e começou a me puxar. Virei-me para trás para fitar Barbie.
 
- Sei que o seu Ken não está aqui, senhorita, mas creio eu que você não precisa agir assim para estragar a felicidade das outras pessoas. – Falei na minha voz mais cordial e também irônica. Foi uma mistura que deu certo, e aquela minha voz mais grossa dava o último efeito. Desviei meu olhar de Barbara antes mesmo que ela me respondesse e segui com Aimée para pista de dança onde uma música animada estava em seu final. Eu não sabia como dançar usando aquela fantasia e aquilo era triste porque era legal dançar. Mantive apenas uns movimentos minúsculos enquanto a loura em minha frente dançava mais liberta e, como diz isso? Graciosa. Suas palavras meio que me pegaram de surpresa e eu sorri por trás da máscara. – Não sei se fã seria uma palavra certa. Prefiro... Adorador. – Falei com aquela minha voz falsa. - Você usa tanto uma máscara que, acaba esquecendo de quem você é. – Continuei usando uma citação do próprio filme em que me baseei. Levei minha mão ao chapéu e abaixei um pouco a sua aba, curvando-me um pouco.
 
Uma música lenta começou a tocar. Ok. Quem é que coloca uma música lenta em uma festa daquelas? Eu não sabia o nome exatamente, mas era bonita e principalmente era a oportunidade para eu ter uma bela noite com Aimée. Uma chance. Era isso que eu precisava. Estendi a minha mão direita para que ela entendesse que eu a puxava para dança e logo nós estávamos vagando na pista, dois para lá e dois para cá. Suas mãos eu meu pescoço e as minhas em sua cintura. Não estávamos muito próximos e aquilo era seriamente desagradável. Fiquei imaginando se ela estava pensando em mim... Não o meu “eu” mascarado hoje, mas o meu normal. Tobias. E se ela estivesse o que estaria pensando? Tentei esquecer isso enquanto nos movíamos no ritmo da música. Novamente ela veio questionar-me, mas eu quase não tinha resposta para aquilo. Olhei para o lado oposto de seu rosto, pensando.
 
- Talvez não tenha sido apenas o acessório que me trouxe até você. – Eu disse simplesmente voltando a fitá-la. Fitar aqueles olhos azuis que me deixavam perdidos frequentemente. Continuei no silêncio por alguns segundos, para lhe dar o direito de resposta, e continuei a fitá-la enquanto dançávamos. – E você? Algum motivo em especial para iniciar uma dança com um homem misterioso? – Perguntei a ela no mesmo tom de voz cordial e aquela voz grave. Enquanto eu me prendia no olhar de Aimée, alguns outros detalhes não me saltavam a mente. Nem eu sabia que eu tinha aquele jeito de ser bom. Era uma surpresa e um agrado e eu era feliz por esquecer-me dos problemas pelo menos uma única vez. Talvez fosse um pouco cedo demais, mas puxei o corpo da garota para mais perto a fim de mantê-la o mais próximo possível de mim.

Coded by @Lilah!
Toby A. Kerzhakov
avatar
NY
Vai à merda.
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Addam Hawthrone em Qui 25 Jul - 13:35:00



 
EMILY?



Addam agora cumprimentava Aimée, que parecia reconhecê-lo, mas não o bastante para lembrar seu nome, e logo é levada por um mascarado qualquer ali na festa. Em seguida, o jovem cumprimenta uma velha amiga, Emily, há algum tempo não conversava com a garota, mas o relacionamento dos dois sempre havia sido agradável. Vestida de Cisne Negro, leva Addam para um outro canto da festa. "Ciúmes para o Edgar? Só pode..." pensou consigo mesmo, mas não se importante. "Foda-se, tá valendo" liberou um leve sorriso no rosto, ele sabia o que aquilo significava.

Ele continuava a caminhar pela festa com Emily, foi até um balcão e pediu um copo de vodka, enquanto o atendente preparava seu pedido, ele apoiou apenas seu cotovelo no batente. -- Eu sei qual é seu lance.. -- sorriu olhando para a jovem que estava à sua frente, fantasiada de Cisne Negro. Após pegar seu copo de vodka, ele aperta o passo, bebendo aquilo em um ou dois goles, indo até um dos cantos da festa. Ao chegar no destilo, ele vira Emily contra a parede, sobrepondo sua mão na cintura da jovem, começando a beijá-la.

Maay From TPO.

Addam Hawthrone
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Eckl Dohrn Morteri em Qui 25 Jul - 14:28:20



Really??

E o que se passou a seguir do quase beijo me pareceu estranho e improvável. Se tem alguma coisa em mim que eu realmente me orgulho é meu senso de observação. Observo muito do que se passa ao meu redor mesmo que não pareça. Enquanto eu dançava e sensualizava com a garota linda a minha frente, observava os bêbados pulando e caindo, observava alguns garotos levando tapas de garotas ainda sóbrias, observava Danika e seu pé rapado num enrolar nada agradável, observava Edgar brincando om uma loirinha bonita, entretanto, o que mais me intrigou foi o que eu observei em uma pessoa desconhecida minha até pouco tempo.

Rachel, a garota que estava lindamente fantasiada de bailarina e que eu cumprimentara minutos antes daquela cena, olhava em minha direção a todo o momento. Eu dançava e ela olhava, eu parava e ela continuava olhando. Tenho certeza de que ela não é do Instituto. Parecia ser um pouco mais velha. Do papo que batemos, a traduzi como incrível, porém insegura. É claro! Foi isso que esqueci! Santo Deus que pode ou não existir, como eu pude? Deixei a garota plantada por ali e corri atrás da morena. Fiquei absorto em como voltar lá e pedir desculpas. Preparei-me e quando tentei chamar a menina que me acompanhava, a própria me dá um beijo na bochecha e sai para tentar limpar seu vestido. “Perfeita oportunidade! Vou lá me desculpar...”

Eu detesto quando meus planos são frustrados. Porque as duas tiveram logo que se esbarrar? Logo uma na outra? Por quê? Olhei um tanto pasmo na direção de Rachel. Destino safado! Pregando peças desnecessárias em quem não deve! Tentei até ir lá, mas as duas saíram em direção ao interior da casa. Segui.
MeNarrationOthers"Pensamentos"
Tagged: Edgar, o gêmeo mau • Clothes: Aqui!

credits@Eck
Eckl Dohrn Morteri
avatar
Manhattan
You know, right?
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Barbara Murdoch Bertrand em Qui 25 Jul - 17:17:50

And it keeps getting better
SOME DAYS I’M A SUPER BITCH UP TO MY OLD TRICKS BUT IT WON’T LAST FOREVER NEXT DAY I’M YOUR SUPER GIRL OUT TO SAVE TO WORLD ♥



Ótimo, Aimée estava saindo com o Justiceiro mascarado barra projeto de super-herói. Eu já estava tão acostumada com minhas ironias ultimamente que eu nem me lembrava que elas aborreciam as pessoas, e não iria me lembrar até que alguém me contestasse;
Sei que o seu Ken não está aqui, senhorita, mas creio eu que você não precisa agir assim para estragar a felicidade das outras pessoas.  — Oh meu Deus, liguem para o circo, temos um palhaço aqui. Ele deu as costas, sendo levado junto com Aimée, pobrezinho... Não entendo porque diabos as pessoas achavam que eu me importava com elas... Sério, não tinha nada a ver; Eu estava me lixando para como elas se sentiam, estragar a felicidade? Ele ainda não sabia como eu estragava a felicidade dos outros. Olhei-o com tanto desdém que se alguém olhasse diretamente para mim naquele momento precisaria de um psicólogo, tão inferior que não merecia resposta; Além do mais eu não iria desbancar o possível romancezinho dispensável de Aimée.

Bom, finalmente o espaço estava menos denso, mas só haviam restado eu e Chenault, que cá entre nós não estava parecendo muito presente por ali, dei um sorriso para minha irmã e fiz uma daquelas perguntas que eu odiava, pergunta que só meu “amor de irmã” me levaria a fazê-la — O que foi Chel, você está tão triste... Aconteceu alguma coisa? — Sangue no meu ego. Sim, eu era capaz de me importar com o sentimento alheio. No caso da pessoa me conhecer desde o dia que eu nasci sim. Olhei ao redor da festa tentando encontrar alguém interessante para cumprimentar, mas hoje eu não estava de bom humor para socializar, nem mesmo pra conquista. Comecei á reparar nas pessoas — Alerta de tédio — OMG como algumas pessoas conseguiam ser tão imbecis? Algumas fantasias ridículas, outras vulgares, outras simples e baratas. Sem contar nas maquiagens, deviam prender algumas garotas pra que elas aprendessem que podemos sim ousar na maquiagem em festas á fantasia, mas tentar fazer cosplay de Amy Winehouse com ressaca e delineador escorrido era demais... Os cabelos não eram novidades, muitos mal-tratados, loiros mal retocados, opacos, escorridos, oh! Que cachos horrorosos daquela garota, cor horrorosa, corte horroroso, aquela ali não cortou o cabelo com tesoura, cortou com um canivete cego! Horrível, horroroso... Espera! — Um formato conhecido me chamou atenção em meio ás pessoas— era meu corte, meus cachos e o tom de negro do cabelo era admirável, uma coroa no topo da cabeça e eu conheço essa coroa! — As pessoas foram descongestionando o caminho e saindo da frente — NO WAY! NÃO. É. POSSÍVEL! — Eu exclamei perplexa ao ver o rosto da garota, eu não confundiria esse rosto nem em um milhão de pessoas, nem no escuro! Se você não me conhece é bom saber que além das minhas irmãs só tem mais uma pessoa que eu confio nesse mundo, a única que compreendia minha mente de verdade porque era a minha versão duplicada, só que morena e mais baixinha. Minha BFF de fantasia de princesa! Soltei as mãos de Cherrie e me retirei sem dizer o porquê, comecei á tirar as pessoas da minha frente — Sai da frente! Tô passando! Sai daqui! — Eu estava á dois metros de distância, e ela ainda parecia nos procurar em meio á multidão. Meu sorriso era radiante, e eu queria chorar, eu estava definitivamente surtando — AAALLIIIEEE!!! — Eu gritei e corri para abraçá-la, eu estava dando saltinhos idiotas e chacoalhando as mãos como uma pré adolescente, a abracei com tanta força que meu vestido provavelmente se amarrotou, mas eu não ligava. — OMG Allie eu estava com tanta saudades de você, você não me manda mais e-mails e não me avisou que iria estar em Manhattan! Oh, eu quero matar você! — Allie era o que podemos chamar de minha melhor amiga, digo aquelas sem laços de família. Ok, nós éramos primas mas primas não são como irmãs, então ela era sim a minha BFF. Aquelas amigas que você conta sobre os garotos e lamenta suas paixões, que você vê filmes de terror e faz festas do pijama, aquela que você tem um cumprimento secreto e uma pulseirinha da amizade. — As meninas vão pirar completamente quando virem que você voltou! —  Puxei o braço de Allie entre as pessoas da festa, acho que algumas delas já estavam cansadas de ser empurradas, mas fazer o que? Eu não sou do tipo que pede Licença. — Sai, sai, sai! — Mal voltei para perto de Chenault e já estava surtando — Chel, você não vai acreditar, olha quem voltou! — Abracei Allie rapidamente soltando-a para que Chenault a cumprimentasse, juntei minhas mãos e encolhi meus ombros, eu estava radiante; Allie estava aqui, e mesmo que fosse por uns poucos dias nós tínhamos tanta coisa pra fazer!

Com: Amy,Chel, and ALLIE! ● Usando: Marilyn Costume ● Humor: Almost Happy ● Note: “He didn't know yet how I ruined the others happiness…”

▲▼
Barbara Murdoch Bertrand
avatar
NYC
Ugh! No.
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Connor Farell em Qui 25 Jul - 19:21:36


Hellhound


Ela ainda me pergunta o que fora aquilo.

- Uma simples demonstração de afeto, de acordo com a população.

Eu não sabia o que dizer, estava realmente confuso. Mas de uma coisa eu tinha certeza: Aquela garota é incrível. Olhei em volta e vi que atraíamos alguns olhares, como se usar uma roupa de Viking já não fosse muito chamativo.

- Acho que chamamos um pouco de atenção, Srta. Hunterfox.

Atenção indesejada, provavelmente apareceria em algum noticiário amanhã.
Ariella concordou comigo e resolvemos ir embora. Sendo assim, fomos até meu carro e eu dirigi para fora do lugar.

Fantasia Aqui
Connor Farell
avatar
Universitários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Emily Von Helling em Qui 25 Jul - 19:52:58



I just want .. to be perfect!


Eu tinha que admitir, a companhia de Addam era mais do que agradável e estava me distraindo no momento, o que era perfeito. Havia tirado o garoto de nossa antiga rodinha de dança e sai junto a ele da pista, procurando algo para beber. Chegamos até um balcão qualquer e Addam pediu um copo de vodka, balancei a cabeça negativamente e pedi logo uma garrafa. Quem está na chuva é para se molhar, ou se embebedar, neste caso.

Ouvi seu comentário sobre minhas atitudes e apenas dei de ombros, sorri e virei a garrafa, ingerindo uma boa quantidade de seu conteúdo. Estava pouco me fodendo para as conseqüências, eu queria era mais me divertir. — Não estou fazendo nada de errado .. ainda! — Pisquei para ele que logo voltou a me puxar para andar pela festa. Senti apenas o impacto das minhas costas batendo na parede e logo Addam e eu estávamos nos beijando.

Estava encurralada entre ele e a parede e não pretendia fugir tão cedo assim. Levei uma de minhas mãos às suas costas e a subi até sua nuca, fazendo pequenas caricias enquanto ainda segurava a garrafa com a outra. Seu beijo era intenso e urgente, nossos corpos estavam colados e a sensação era indescritível. Nossas bocas se encaixavam de uma maneira perfeita e o gosto de seu beijo era muito bom, ou talvez fosse a vodka.

Enfim, aquilo não importava muito. Independente da causa, a conseqüência estava sendo muito boa. Sentia ele apertar ainda mais as mãos a minha cintura e colar ainda mais nossos corpos, como se fosse possível. Mas como nem tudo nessa vida é perfeito .. memórias há muito tempo esquecidas voltaram à minha mente e percebi que não deveria estar fazendo aquilo.

Addam era apenas um amigo, nada mais, mas eu não queria parar. Quando a respiração estava por me faltar, mordi seu lábio inferior delicadamente e me soltei de seus braços. Sorri após isso, o soltando e bebendo mais um gole da garrafa. — Está livre, pode ir à caça! — Me ergui a ponta dos pés e sussurrei ao seu ouvido e aproveitei para morder maliciosamente o lóbulo de sua orelha.

Eu o conhecia o suficiente para saber que tinha sido apenas a primeira 'presa' de sua noite. Addam era assim e eu me divertia horrores com seu jeito de ser. Assim que dei às costas ao garoto, parei para observar o lugar onde Eden estava, ou eu imaginara que estaria. "Ótimo, vou embora sozinha então!" Mas antes .. eu tinha contas a acertar. Tudo bem, era apenas uma vingancinha pessoal, nada mais.

Rapidamente dei praticamente fim ao conteúdo da garrafa de vodka, sobrando apenas um ou dois goles prolongados. Segurei a garrafa em minha mão direita, respirei fundo e procurei meu “alvo”. Já tinha lido em algum lugar algo que falava que tudo o que necessitamos é de vinte segundos de coragem insana, eu precisaria de um pouco menos talvez. Me arrependendo amargamente de minhas próximas atitudes, estava pronta para ver o circo pegar fogo.

Ele queria motivos para me atormentar, pois então eu daria milhares para ele. Que aquilo me perseguisse para sempre, eu pouco me importava. A bebida me enchia de uma coragem fora de série. Era agora ou nunca. Edgar e sua acompanhante estavam juntos ainda, mas pouco me importei para isso. Cheguei de frente para eles e encarei Edgar por alguns segundos.

Ele pagaria por todas as provocações. Praticamente empurrei à garrafa para os braços da loira. — Segura pra mim, honey? — Estava sendo indelicada com ela? Então que me perdoasse, faria algo pior agora. Antes que ela esboçasse qualquer outra reação, puxei Edgar pela gola da camisa que compunha sua fantasia e lhe beijei. E nos poucos milésimos de segundos os quais seus lábios estavam sobre os meus, todas as lembranças e sentimentos vieram à tona. "Droga, o que estou fazendo?". Estava dando de bandeja motivos para falarem de mim, mais do que jhá falavam, mas que todos se explodissem, vingança estava feita.

E tudo cessara repentinamente, senti um empurrão, não me lembro se foi de Meegan ou do próprio Edgar. Voltei á frente dele e lhe deixei com a marca de meus dedos da mão direita sobre a sua face. — Agora sim, eu fujo! — Olhei em seus profundos olhos azuis e puxei a garrafa das maõs da namorada dele, que parecia em choque com a cena. — Muito obrigada, queridinha. — Sorri cinicamente para ela e dei as costas aos dois. Não entendia como ela ainda não pulara em meu pescoço. Alguém deveria estar a segurando e tal fato me fez rir, findei a vodka e coloquei a garrafa em um canto qualquer, me retirando da festa. “Saída dramática e triunfal .. tão Emily!”.

Wearing: Black Swan Costume;  With: Addam, vodka and vengeance; Where: Morteri’s Party;

template made by neon suicide at @ops
Emily Von Helling
avatar
NYC
hello darkness
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Aimée Murdoch Bertrand em Qui 25 Jul - 21:40:10

Oh My God!
You know that I'm a crazy bitch I do what I want when I feel like it, All I wanna do is lose control But you don't really give a shit, You go, if you go, if you go with it 'Cause you're fucking crazy Rock 'n' Roll. And that's why I smile It's been a while Since everyday and everything has felt this right And now you turn it all around

– Talvez não tenha sido apenas o acessório que me trouxe até você. – Ele disse, em sua voz abafada. Franzi o cenho em uma mistura de preocupação e confusão. OMG, eu tenho um stalker! Deveria ficar com medo, já que havia passado por algo parecido assim que cheguei no Instituto, onde havia um garoto do primeiro ano que sabia mais da minha vida do que eu mesma, mas não estava. Apenas me assustei com sua declaração, logo desviando o olhar para o chão, que ficara tão interessante de repente. – Desde que não queira me matar ou algo do tipo, eu acho que posso suportar um stalker. – Brinquei com as palavras, voltando de imediato a procurar os olhos por trás da máscara. Um sorriso discreto escapou de meus lábios ao observar que os olhos da pessoa brilhavam furtivamente a me observar. Continuávamos a dançar, eu estava ignorando todos a minha volta para focar em descobrir quem era Fawkes. Podia ser qualquer garoto do Richard, podia até mesmo ser uma garota... Não podia dispensar a possibilidade de ser a Secret. Não, menos. Com certeza aquela vadiazinha teria outras coisas para observar além de mim. – E você? Algum motivo em especial para iniciar uma dança com um homem misterioso? – Indagou-me, tirando minha atenção no descobrir quem você é para o responder ao stalker. Dei de ombros de forma sutil, passando a língua pelos lábios e salientando o canto de meus lábios em um sorriso. – Fawkes. Tenho uma queda por sua história e por como ele conseguiu eternizar essa face que agora você usa. Lendo a história desse cara, logo percebi que adoraria trocar ideias com ele sobre... Tudo, ou quase tudo. Então, assim que o vi, apontado por minha irmã, percebi que queria conversar contigo sobre algumas ideologias e saber se por trás dessa máscara há apenas um poser ou se finalmente encontrei alguém à minha altura para discutir algumas questões. – Nossa, fiquei surpresa comigo mesma após isso, notando que as palavras fluíram com uma facilidade invejável, como se ele não fosse um estranho mascarado, mas uma pessoa que eu já conhecia há algum tempo. A música estava chegando ao seu fim, assim como nossa dança. Ficamos parados ali por um instante, nenhum dos dois se movendo para o afastamento, pelo contrário, os braços dele se estreitaram em volta de minha cintura, levando-me para mais perto. Coloquei ambas mãos sobre seu peitoral, mantendo uma distância considerável ainda que ele mantivesse o ligeiro aperto e usasse uma máscara. Era assustadora aquela proximidade. Senti minhas bochechas queimarem, então eu deveria estar vermelha nesse instante. Soltei a respiração lentamente, olhando para os lados e procurando algo para beber. – Quer alguma beb... OH MAI GASH! – Soltei-me bruscamente do rapaz, fixando meu olhar em uma movimentação diferente onde anteriormente estavam só Barbie e Chel. Mas agora não, tinha mais alguém ali, alguém que eu conhecia, mas que há muito não via. Um largo sorriso estampou meu rosto, meus olhos deveriam estar brilhando, porque eu via muito além do que apenas uma garota. – Ela está de volta. – Sussurrei, imóvel. Meus músculos não obedeciam ao meu comando, então fiquei estagnada, apenas observando as três garotas se abraçando, gesticulando e sorrindo. Nada melhor que um reencontro. Lembrei-me do rapaz que há pouco havia dançado comigo, tornando a olha-lo, impossibilitada de tirar aquele enorme sorriso de minha face. – Foi uma satisfação dançar com você, mister Desconhecido. – Segurei a barra de meu vestido do lado de meu corpo, fazendo uma breve reverência como as princesas costumavam fazer nos contos de fadas. Não sabia o motivo, mas resolvi cumprimenta-lo assim. Passei por ele então, endireitando a postura e a passos lentos, abrindo espaço com os braços por entre as pessoas que dançavam, pedindo licença de uma forma um tanto rude. Espera, ele não havia nem ao menos dito seu nome! – Hey, Fawkes! – Girei em meus calcanhares e comecei a caminhar de costas, enquanto falava com o desconhecido a alguns passos dele, elevando a voz sobre o tom da música alta. – Espero que nos encontremos um dia desses para terminar a conversa. Sabe o que dizer quando me achar. – Acenei um tchau para ele com os dedos da mão direita, agora caminhando de frente ao encontro das garotas. Esbarrei em várias pessoas, ignorando as lamentações e os ”hey, olha por onde anda”, retrucando com ”estou passando, não tá vendo?” e alguns eu nem ao menos fazia questão de retrucar. Que abram espaço para mim, sempre faziam isso mesmo. Ajeitei a tiara com as orelha sobre a cabeça, aproveitando para passar a mão nas mechas louras fora do lugar, a poucos passos delas. – Pelos deuses! New York está com mais estrelas do que a calçada da fama. – Abri espaço entre Chel e Barbie, me aproximando de Allie e estendendo os braços para ela, dando passos curtos e sorrindo entusiasmada. – ALLIE, sua patricinha arrogante e mimada! – Passei os braços pela cintura da garota, elevando-a do chão em um abraço forte, estalando um beijo em sua face rosada de blush e deixando-a no chão novamente, afagando o rosto onde havia sujado com o batom vermelho. Em uma análise rápida, percebi que ela não havia mudado muita coisa. Seus olhos ainda brilhavam tão maliciosamente quanto me lembrava, seu sorriso era largo e sincero, ao menos para nós. Barbara e Chenault estavam tão radiantes quanto eu, e o clima estava mais leve. O que um retorno não causa? E não era qualquer retorno, era Alice. – Deuses, você está linda.  Veio para ficar? Ou só alguns dias? Ah, tsc, dane-se, o importante é que está aqui de novo. – Eu falava tão rápido e tão animada. Uni as mãos sob o queixo e fiquei fitando a morena dos olhos verdes vestida de... Princesa? Oh, como não? Tão imaginável quanto saber que se Barbie sumisse era por que estava em um shopping, e se Chel sumisse era por estar estudando. – Ai quero gritar. Podemos? Podemos, diz que podemos fazer um escândalo. – Eu estava pior do que Barbara em uma loja de sapatos, mas desejava realmente fazer um escândalo tipo aqueles abraços comunitários. Dane-se o que as pessoas pensariam, Allie estava de volta.

notes: more stars than the walk of fame; tags: Barbie, Chel, ALLIE, Fawkes; vestindo: Minnie Costumes; Thanks Maay - TPO.
Aimée Murdoch Bertrand
avatar
ESPS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Alice B. M. Davanport em Qui 25 Jul - 23:22:26

I'm Back, Bitchs!
Yeah Oh! This is my grand finale. 'Cause I'm rocking everywhere from Manhattan to Cali. Yeah, I'm on my game, just not forget my name. Baby, shake it, shake it, shake it 'till we break the frame.✖
I'm back!
At the top of my game!<3
Conforme eu caminhava as pessoas abriam certo espaço, bom saber que se lembram de mim. As fantasias em geral eram muito monótonas e sem um pingo de originalidade, as músicas chatas e muito calmas, a festa como um todo estava CHATA demais. É provável que as meninas tenham saído daqui e ido a um lugar melhor. Dei mais algumas voltas no salão observando aquelas pessoas insignificantes socializando e rindo. Divertem-se com tão pouco...
Já estava ficando entediada quando de repente fui surpreendida pela única pessoa no mundo que talvez eu não tenha tanta vontade de ver quebrando as pernas. Minha soul sister linda do meu coração, eu me sinto muito estranha só de pensar essas coisas, mas a verdade nem sempre é o que gostaríamos de admitir. Ela é uma das três loiras que têm um espacinho no meu coração, ela combina tanto comigo quanto queijo e goiabada, pizza e katchup. Resumindo ela é uma irmã praticamente.

– BAAARBIE!! – Abracei-a com toda a força que podia – Calma priminha, assim você vai acabar com meu vestido. – Sorri e continuei falando agora mais calma, mas ainda eufórica por dentro – Eu não a avisei porque decidi fazer uma surpresa pra você minha querida. – Segurei suas mãos, juntei-as próximas aos meus lábios e as beijei como sempre fazíamos.
Logo comecei a ser arrastada pelo braço, que deselegante, mas antes que pudesse protestar e mostrar um pouco de vergonha estava frente a frente com Chel, ela estava linda. Parecia um pouco triste, mas linda como sempre. Abracei-a e sorri encostando minha testa na dela – Estava com saudades meu amor – Afastei-me ao ouvir uma voz muito conhecida, e muito irritante às vezes... Mêeh deu-me um abraço de urso, erguendo-me do chão – Cuidado!! Meu vestido sua vaca – Falei em um gritinho, logo me recompus e sorri mordendo o lábio – Estava morta de saudades de você também minha flor – Sorrindo peguei sua mão e continuei encarando as três – Eu queria fazer uma surpresa, não ser surpreendida, mas okay. O plano não deu muito certo. – Olhei Mêeh com um sorriso de orelha a orelha – Não, nós não podemos fazer um escândalo, as pessoas estão olhando e além do mais somos exemplos, eles que devem fazer escândalos para nós – Apertei a mão dela e dei uma risadinha – Estou tão animada... Eu decidi estudar aqui nos Estados Unidos da América com vocês – Dei um gritinho e alguns pulinhos sem conseguir me conter. Porem me recompus novamente e passei o braço direito pelas costas de Aimée abraçando-a e olhando para as outras duas. – Nós vamos poder como vocês dizem aqui “Tocar o horror” novamente – Eu não tinha muito conhecimento de gírias, essa expressão deve ter soado estranha ainda mais devido ao meu leve (enorme) sotaque.


I'm Back, Bitchs!
Tags: Minhas vaquinahs ABC; Vestindo: Isto! ||All Rights Reserved for Belladona
Alice B. M. Davanport
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Sebastien Skei Fjellkirke em Qui 25 Jul - 23:28:45


Sono sempre stato un angelo ?
é mulherengo? Milionário? e bebe demais?, é um dos meus!


Bebi bem pouco e fiquei observando ao meu redor, enquanto Dominique parecia dizer que não havia tequila no loca, só consegui pensar que boa festa não teria tequila? Mas continuava a manter minha atenção voltada a Dominique, não só seu nome, mas seu jeito me lembrou minha irmã por um instante. Bem eu apenas fiquei ali parado vendo as pessoas ao meu redor dançarem, eu nunca fui fã da dança, mas naqueles lugares com um pouco de bebida sempre acabava acontecendo, mas não hoje, dominique me largará uma pergunta no ar, fiquei calado um instante, boa pergunta por que eu fui até lá? Apenas olhei pra ela um com um pouco de calma.
 
-Acreditaria se eu te dissesse que vim por que achei que te encontraria por aqui? Sei lá, desde que te vi na faculdade, eu quis te ver de novo.  
 
Tomei mais uma dose de Whisky, olhei pra ela novamente a espera de uma resposta e voltei a varrer toda a festa com o olhar, realmente foi uma resposta bem "arriscada" a minha, o que eu estava fazendo ali falando daquele jeito com uma garota que era praticamente uma desconhecida? Bem eu também não sabia, mas as palavras simplesmente fluíam de mim, apenas sorri para ela novamente e lhe estendi a mão.
 
- Bem esse lugar tá meio caído, será que poderíamos ir a algum lugar mais calmo? Sei lá, em que possamos conversar? Essa festa ta bem chatinha.
 
Levantei e fiquei de pé a frente de Dominique, realmente já tinha me enchido daquela festa, mesmo estando ali a tão pouco tempo, mas não da presença dela, queria passar mais tempo com ela e poder conversar, mas antes precisava sair daquele lugar.

 


Com: Dominique. humor: Soberbo; vestindo Anjo{Clica}
Narração
{} Falas {} Pensamentos


 

Thanks Maay From TPO.



Sebastien Skei Fjellkirke
avatar
Nárnia ou Terra do Nunca.
Provavelmente, rindo da sua cara.
Adulto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Scarlett Darkhölme em Qui 25 Jul - 23:37:06

Fantasy Night


  O tempo passou e conforme os minutos iam voando eu ia detonando os três Martinis que eu peguei no bar. Tudo que acontecia naquela festa estava bastante típico para mim. Alguns dançavam, outros se pegavam. Cheguei até a ver duas pessoas indo para o segundo andar, mas não prestei muita atenção. Estava tão entediada que praticamente ignorei qualquer um que estivesse na minha frente. Sai empurrando todos e fui andando para o elevador.

Depois de uma rápida olhada para trás pude ver um grupo em desarmonia. Pensei, respirei fundo e pensei de novo. Não valeria a pena. Qualquer coisa que estivesse acontecendo ali, mais cedo ou mais tarde, apareceria no blog da Secret. Torcia para que algo realmente vergonhoso acontecesse entre eles, pois, só de olhar, poderia nomear quase todos como pessoas que eu não me arrependeria de fazer aparecer no blog.

Até que notei que estava tempo demais ali parada. Soltei um sorrisinho diabólico, me virei e entrei no elevador. Enquanto indicava o térreo no painel, mandei uma mensagem para meu motorista. Estava muito cedo para ir para casa e encontrar com a Grinch, que eu chamava de madrasta. Já no térreo, entrei no carro e indiquei ao meu motorista que começasse a dar algumas voltas.



TAGGED: NINGUÉM ✖️ NOTES: Dance Cool✖️
CLOTHERS: THIS ✖️ LYRICS: Selena Gomez & The Scene - Hit The Lights

I ♥️ Lollita

Scarlett Darkhölme
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de Entrada

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 6 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum